Milho mantém ritmo de altas nas cotações com oferta retraída

91

     Porto Alegre, 18 de outubro de 2019 – O mercado brasileiro de milho teve mais uma semana de avanços nas cotações nas principais praças. A oferta retraída por parte dos produtores, especialmente com a preocupação com o clima para a safra nova, vem levando as cotações a avanços.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o foco do mercado brasileiro permanece na decisão de venda do produtor. “Com o regime de chuvas bastante irregular em grande parte do Centro-Sul do país, a retenção se tornou uma estratégia recorrente, avaliando um cenário complicado no decorrer do primeiro quadrimestre de 2020. Os consumidores passam a acusar maior dificuldade na composição de seus estoques”, ressalta.

     Assim, o mercado nacional inclusive está mais descolado da influência direta da Bolsa de Chicago e do dólar, com a dificuldade dos compradores na obtenção da oferta. Os produtores apostam em reação nas cotações.

     No Porto de Santos, na base de compra, o preço subiu na semana (entre 10 e 17 de outubro) de R$ 40,50 para R$ 42,00 a saca de 60 quilos. Em Campinas/CIF, a cotação do milho, na base de venda, passou de R$ 42,50 para R$ 45,00. Já na Mogiana paulista, mercado subiu de R$ 40,00 a saca para R$ 42,50 na venda.

    Em Rio Verde, Goiás, o preço na venda passou de R$ 33,00 para R$ 35,00 a saca. Já em Uberlândia, Minas Gerais, a cotação se manteve estável em R$ 40,00 na venda.

     Em Cascavel, no Paraná, o valor do milho subiu de R$ 37,00 para R$ 37,50 a saca na venda, e em Rondonópolis, Mato Grosso, preço subiu de R$ 30,50 para R$ 31,00 a saca na venda.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA