Preços do café avançam no Brasil com ganhos em NY / Dólar limita

97

     Porto Alegre, 22 de outubro de 2019 – O mercado físico brasileiro de café registrou preços mais altos nesta terça-feira. As cotações foram sustentadas pela forte valorização do arábica na Bolsa de Mercadorias de Nova York. Entretanto, o tombo do dólar limitou o impacto positivo da bolsa nas cotações do café em reais no Brasil.

     Apesar do cenário de ganhos na bolsa, o dia não foi muito animado na comercialização. O comprador não apareceu tanto para as negociações e os vendedores seguiram cautelosos. A baixa do dólar travou, de fato, uma melhor movimentação. Houve maior negociação de cafés mais fracos de qualidade, com cafés de média e superior qualidade sendo “retidos” pelos vendedores, aguardando se NY não tem mais ganhos nesta quarta-feira.

     No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa subiu de R$ 410,00/415,00 a saca para R$ 415,00/420,00. No cerrado mineiro, o preço atingiu R$ 420,00/425,00 a saca, contra R$ R$ 415,00/420,00 de ontem.

     Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 300,00/305,00, contra R$ 295,00/300,00 anteriormente.

     O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 280,00/285,00 a saca, inalterado.

     Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta terça-feira com preços acentuadamente mais altos. Foi a terceira sessão seguida de ganhos, com NY atingindo para dezembro o patamar mais elevado de fechamento desde 04 de outubro.

     As cotações subiram diante da desvalorização do dólar contra o real no Brasil, o que é fator altista para o café por tirar competitividade do país nas exportações. A valorização do petróleo contribuiu para os ganhos.

     Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, os preços dispararam diante da questão cambial e no “embalo técnico”. As cotações subiram e romperam resistências, estimulando ainda mais compras, o que intensificou a alta. Barabach comenta que, entretanto, NY respeito a linha de US$ 1,00 a libra-peso, com a máxima na sessão sendo de 99,10 centavos de dólar para dezembro.

     Os fundamentos ficaram à margem do mercado, já que o cenário segue baixista, com ampla oferta global dando tranquilidade para o abastecimento.

     Os contratos com entrega em dezembro/2019 fecharam o dia a 98,90 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 2,55 centavos, ou de 2,6%. Março/2020 fechou a 102,30 cents, com elevação de 2,60 centavos, ou de 2,6%.

Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 1,35%, sendo negociado a R$ 4,0760 para venda e a R$ 4,0740 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,0630 e a máxima de R$ 4,1280.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA