Algodão tem quinta de fraco interesse comprador e preços mais baixos

93

    Porto Alegre, 24 de outubro de 2019 – O mercado doméstico de algodão segue caracterizado pelo baixo interesse comprador. Com uma safra recorde à disposição e com o consumo ainda enfraquecido pelo baixo crescimento econômico, as indústrias têm optado por trabalhar com estoques curtos. Na outra ponta, os preços atuais não têm atraído os vendedores no mercado disponível. Nesta quinta-feira, dia de preços fracos com a queda em NY e fraca demanda. No CIF de São Paulo a indicação ficou em R$ 2,50/libra-peso, com quedas de 0,2% em relação à véspera, acumulando alta de 1,5% em relação ao mês passado e queda 16,2% quando comparado ao mesmo momento do ano passado.

     Momentos atrativos de mercado internacional e/ou câmbio tem sido aproveitados para fechar negócios futuros. Com o dólar voltando a se aproximar de R$ 4,00, o produto brasileiro tende a perder competitividade externa. Com grande excedente de produção em relação ao consumo doméstico, a paridade de exportação tende a pressionar as cotações da pluma no âmbito interno. 

     Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais baixos nesta quinta-feira.

     O mercado mais uma vez demonstrou fraqueza técnica e recuou ao não conseguir se manter acima da importante linha psicológica de 65,00 centavos de dólar por libra-peso no contrato dezembro. As informações partem de agências de notícias. O mercado também observou no dia o desempenho das vendas americanas, que caíram contra a semana anterior.

     As vendas líquidas norte-americanas de algodão (upland), referentes à temporada 2019/20, iniciada em 1o de agosto, ficaram em 140.500 fardos na semana encerrada em 17 de outubro. Representa um recuo de 32% frente à semana anterior e é 23% inferior ante à média das últimas quatro semanas. O maior importador foi o Vietnã, com 45,9 mil toneladas. Para a temporada 2020/21, ficaram em 8.400 mil fardos. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

    Os contratos com entrega em dezembro/2019 fecharam a 64,65 centavos de dólar por libra-peso, com desvalorização de 0,30 centavo, ou de 0,5%. Março/2020 fechou a 65,50 centavos, com queda de 0,29 centavo, ou de 0,4%.

     Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,17%, sendo negociado a R$ 4,0430 para venda e a R$ 4,0410 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,0000 e a máxima de R$ 4,0450.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA