Apesar da reação de NY, dia deve ser lento para o mercado de café no Brasil

67

    Porto Alegre, 25 de outubro de 2019 – Apesar da reação dos contratos futuros em Nova York, o mercado brasileiro de café deve seguir apresentando poucos negócios nesta sexta-feira, marcada por mais um dia de recuo do dólar frente ao real. Os compradores estão diminuindo ainda mais seus patamares, adicionando dificuldade na comercialização nas principais praças do país.

NOVA YORK

* Os contratos com vencimento em dezembro operam com alta de 0,95 centavo em Nova York, cotados a 97,40 centavos de dólar por libra-peso, o equivalente a 0,98%.

* A posição dezembro fechou nesta quinta-feira a 96,45 centavos de dólar por libra-peso, com baixa de 1,30 centavo, ou de 1,3%.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com baixa de 0,44% neste momento, a R$ 4,025.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam firmes. Xangai, +0,48%; e Tóquio, +0,22%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,13%; Frankfurt, -0,15% e Londres, -0,55%.

* O petróleo opera em baixa. Dezembro do WTI em NY: US$ 56,14 o barril (-0,17%).

* O Dollar Index registra alta de 0,06%, a 97,69 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado físico brasileiro de café registrou preços pouco alterados e escassos negócios nesta quinta-feira. A volatilidade na Bolsa de Nova York para o arábica e no câmbio dificultou a formação de preços no Brasil e trouxe lentidão ao mercado, tornando complicada a mudança nas bases de valores.

* No sul e cerrado de Minas Gerais, algumas empresas maiores que vêm determinando a base de mercado recuaram em seus preços e isso pressionou alguns cafés. Mas, no geral, o dia foi de cotações pouco alteradas.

* No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 410,00/415,00. No cerrado mineiro, o preço recuou para R$ 415,00/420,00 a saca, contra R$ 415,00/420,00 de ontem.

* Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 300,00/305,00, estável.

* O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 275,00/280,00 a saca, inalterado.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA