Lucro líquido da Vale cresce 17% no terceiro trimestre

91

     São Paulo, 24 de outubro de 2019 – O lucro líquido da mineradora Vale cresceu 17% no terceiro trimestre deste ano, atingindo US$ 1,654 bilhão. Analistas consultados pela Agência CMA previam, em média, lucro líquido de US$ 3,140 bilhões para o período.

     Segundo a empresa, o resultado foi influenciado pelas provisões de US$ 1,9 bilhão relacionadas ao rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, e à descaracterização da barragem de Germano e à Fundação Renova, todas reconhecidas no balanço do segundo trimestre deste ano.

     A receita líquida da companhia aumentou 7% na mesma base de comparação, para US$ 10,217 bilhões, ligeiramente acima da previsão do mercado, de US$ 10,154 bilhões.

     A receita com minerais ferrosos cresceu 12% no segundo trimestre, para R$ 8,327 bilhões. O preço médio realizado do minério de ferro foi de US$ 102 por tonelada, um aumento de 52,9% em relação ao mesmo período do ano passado. O investimento caiu 2% e somou US$ 2,232 bilhões.

     No terceiro trimestre a geração de caixa foi de US$ 3,0 bilhões, permitindo à empresa a continuidade da redução do endividamento, com a dívida líquida atingindo US$ 5,321 bilhões em setembro, redução de US$ 4,405 bilhões em comparação aos US$ 9,726 bilhões registrados ao final de junho.

     A dívida bruta do período foi de US$ 14,786 bilhões, redução de US$ 1,004 bilhão em relação ao segundo trimestre deste ano. O prazo médio da dívida caiu para 8,04 anos, ante 8,37 anos em junho.

     A Vale informou também que o custo médio da dívida, após swaps cambiais e de juros, reduziu para 4,71% ao no terceiro trimestre, quando comparado a 4,96% ao ano em 30 de junho. Esta redução deu-se, principalmente, devido à recompra de bonds com maior yield e prazos mais longos no trimestre. A alavancagem, medida pela relação da dívida líquida/ EBITDA ajustado, reduziu para 0,5x.

     As informações são da Agência CMA.

Copyright 2019 – Grupo CMA