Preços do trigo sentem pressão de oferta apesar de perdas no Brasil

115

Porto Alegre, 25 de outubro de 2019 – A pressão de oferta, com o avanço da colheita de trigo no Brasil, impacta os preços nacionais. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, apesar de perdas de produtividade já indicadas no Paraná, maior produtor nacional, há um curto espaço de tempo com grande volume de entradas no mercado doméstico, que favorece este viés baixista.

Os trabalhos tanto no PR quanto no Rio Grande do Sul estão adiantados em relação ao ano passado, mesmo com as recentes chuvas que atrasaram parcialmente o progresso da ceifa paranaense. “Novas chuvas estão previstas, podendo manter o progresso relativamente baixo no decorrer da semana. As condições das lavouras tendem a piorar com diversos dias seguidos de chuvas, além de haver possibilidade de prejudicar a produtividade de algumas regiões”, alertou o analista.

“Caso novas perdas venham a ocorrer, os preços deverão sofrer impacto disso, devido a uma menor oferta no âmbito doméstico, ao menos, abaixo da expectativa do mercado. Isso leva muitas indústrias a buscar alternativas para seu abastecimento, como o mercado internacional. Assim, deve-se ter ainda mais atenção à volatilidade cambial, devido à alteração dos custos de importação ocorridos com a mudança do câmbio”, analisou.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal, que a safra 2019 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 2,177 milhões de toneladas, 22% abaixo das 2,808 milhões de toneladas colhidas na temporada 2018.

A área cultivada ficou em 1,023 milhão de hectares, contra 1,102 milhão de hectares em 2018, queda de 7%. A produtividade média é estimada em 2.236 quilos por hectare, abaixo dos 2.567 quilos por hectare registrados na temporada 2018.

Segundo o Deral, a colheita atinge 82% da área, com 78% em boas condições, 20% em condições médias e 2% em situação ruim, divididas entre as fases de floração (1%), frutificação (35%) e maturação (64%). A comercialização de safra 2018/19% chega a 44%.

Rio Grande do Sul

A colheita do trigo atinge 16% da área no Rio Grande do Sul. As lavouras se dividem entre as fases de floração (1%), enchimento do grão (25%) e em maturação (58%). Nesta safra, a área estimada pela Emater/RS-Ascar para o cultivo do trigo é de 739,4 mil hectares. A área de cultivo de trigo no RS corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o grão.

CIG

O Conselho Internacional de Grãos (CIG) cortou sua projeção para a safra global de grãos em 2019/20 de 2,159 para 2,157 bilhões de toneladas. A safra 2018/19, é estimada em 2,142 bilhões de toneladas.

A produção de trigo é estimada em 762 milhões de toneladas, contra 764 milhões em setembro. Em 2018/19 são estimadas 733 milhões de toneladas de 2018/19.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA