Venda da BR compensa perdas da Petrobras no 3º trimestre

119

     Porto Alegre, 25 de outubro de 2019 – O lucro líquido da Petrobras cresceu 36,8% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 9,087 bilhões. Analistas consultados pela Agência CMA previram, em média, um resultado líquido de R$ 6,842 bilhões.

     De acordo com a estatal, o resultado foi influenciado pela venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) no segundo trimestre do ano e às despesas com imposto de renda e contribuição social decorrente da baixa de ativos fiscais diferidos no exterior, parcialmente compensadas pelo ganho com a venda das ações da BR Distribuidora.

     A receita líquida da companhia diminuiu 13,5% na mesma base de comparação, para R$ 77,051 bilhões, ficando abaixo da previsão do mercado, de R$ 78,654 bilhões.

     O ebitda ajustado subiu 9,1% no período, para R$ 32,582 bilhões, acima da estimativa de analistas, de R$ 25,256 bilhões. O ebitda ajustado leva em consideração o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, participações em investimentos, reduções no valor recuperável de ativos (impairment), o resultado com alienação e baixa de ativos e remensuração nas participações societárias.

     O lucro líquido da área de Refino – a maior divisão da Petrobras em termos de receita – diminuiu 85,9% no trimestre, para R$ 479 milhões, quando comparado um ano antes. Na divisão de exploração e produção (E&P), o lucro líquido caiu 4,2% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 11,820 bilhões.

     Ao longo do trimestre, a Petrobras diminuiu os investimentos em 33,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 2,612 bilhões, e subiu o fluxo de caixa livre em mais de três vezes, para R$ 25,718 bilhões.

     O endividamento líquido da companhia somava R$ 314 bilhões ao fim do terceiro trimestre – 7,62% a mais do que igual período de 2018, ou o equivalente a 2,58 vezes o ebitda ajustado da na comparação anual.

     No trimestre, a estatal reconheceu impairment total de R$ 2,410 bilhões, sendo R$ 68 milhões no Comperj, R$ 444 milhões no Navio Sonda Vitória 10.000, R$ 1,264 bilhões na P-37, pelo não aproveitamento da plataforma no campo de Marlim e no Campo Corvina, de R$ 636 milhões. 

     A Petrobras informou ainda que nos programas de demissão voluntária (PDVs) nos quais mais de 2.000 empregados se inscreveram. Além disso, a estatal disse que vai desocupar quatro prédios até o final do ano e que passará de 18 escritórios no exterior para somente cinco.

      No terceiro trimestre, a petrolífera foi ressarcida em R$ 446 milhões referente a Operação Lava Jato. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA