Com dólar e Chicago voláteis, Brasil deve ter poucos negócios na soja

81

     Porto Alegre, 31 de outubro de 2019 – A mercado brasileiro de soja deve ter um dia de poucos negócios, devido à volatilidade verificada na Bolsa de Mercadorias de Chicago e na moeda norte-americana. O dólar abriu em queda frente ao real, mas reverteu e tem leve alta no momento. As atenções seguem voltadas para alguma novidade nas conversações entre os Estados Unidos e a China.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em janeiro apresentam alta de 0,26%, a US$ 9,28 por bushel.

* Em sessão volátil, o mercado oscila entre os territórios positivo e negativo. Apesar da colheita mais lenta nos Estados Unidos, que traz suporte, não há temores grandes de que a produtividade será severamente prejudicada – o que limita o ímpeto comprador. Já as exportações semanais norte-americanas mostrando demanda por parte da China podem animar na reabertura dos negócios.

* As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2019/20, com início em 1 de setembro, ficaram em 943.600 toneladas na semana encerrada em 24 de outubro. Representa uma elevação de 99% frente à semana anterior e um recuo de 39% ante à média das últimas quatro semanas. A China liderou as importações, com 481.000 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 500 mil a 1,1 milhão de toneladas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para novembro ficou em 75 a 90 pontos acima de Chicago. Para fevereiro, o valor é de 41 a 52 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com alta de 0,12% neste momento, a R$ 3,9920.

INDICADORES FINANCEIROS

* As bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, -0,35%; e Tóquio, +0,37%.

* As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,30%; Frankfurt, -0,07% e Londres, -0,88%.

* O petróleo opera em baixa. Dezembro do WTI em NY: US$ 54,51 o barril (-0,98%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,32%, a 97,132 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de soja registrou preços firmes, de estáveis a mais altos nesta quarta-feira. O mercado permaneceu volátil, diante das oscilações na Bolsa de Chicago (CBOT) e no dólar. Mas, o dia mais uma vez foi de fraca movimentação.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 83,50 para R$ 84,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 83,00 para R$ 83,50. No porto de Rio Grande, o preço avançou de R$ 88,50 para R$ 89,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 81,50 para R$ 82,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca se manteve em R$ 88,00.

* Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 78,50 para R$ 79,00.  Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 79,00 para R$ 80,00. Em Rio Verde (GO), a saca se manteve em R$ 78,00.

AGENDA

—–Quinta-feira (31/10)

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (01/10)

– O IBGE divulga às 9h os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Industrial referentes a setembro.

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a outubro serão publicados às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Números fechados da balança comercial de outubro – Ministério da Economia, 15hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA