Algodão manteve fracos preços e negócios nesta terça-feira no país

92

    Porto Alegre, 05 de novembro de 2019 – O mercado brasileiro de algodão segue operando com reduzido volume de negócios e com preços em baixa. No CIF de São Paulo a indicação média ficou em R$ 2,49/libra-peso, com queda de 0,08% em relação ao dia anterior, acumulando alta de 1,3% em relação ao mesmo período do mês passado e queda de 14,7% quando se compara a igual momento do ano passado. No FOB do porto de Santos/SP a indicação nesta segunda-feira ficou em 64,08 cents de dólar por libra-peso (c/lb), valor 0,58% superior ao do contrato spot da fibra na Bolsa de Nova York.

     O consultor de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, observa que o ritmo das exportações brasileiras de algodão continua muito bom. No último mês de outubro o país embarcou 273,4 mil toneladas (base pluma), o maior volume mensal da história. Com isso, no acumulado da temporada (entre junho e outubro) as vendas externas da fibra acumulam 566,3 mil toneladas, um montante recorde para o período. Com esse desempenho, a cadeia produtiva já conseguiu colocar 28% do saldo de produção em relação ao consumo interno. Em igual momento do ano anterior havia escoado 15% do saldo daquela temporada, o que evidencia o bom desempenho atual. O destaque como comprador segue sendo a China, com 31% do total, seguido elo Vietnã com 16%, Indonésia e Bangladesh com 11% e Turquia com 10%.

     Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mistos nesta terça-feira.

     A sessão foi de muita volatilidade, de altos e baixos, e o fechamento não foi diferente. Os dois contratos mais próximos e mais negociados tiveram ganhos. A alta do petróleo deu sustentação ao mercado. Entretanto, como destaca o consultor de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, a boa evolução da colheita norte-americana pressionou para baixo as cotações.

    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução da colheita das lavouras de algodão. Até 3 de novembro, a área colhida era apontada em 53%. Na semana passada, era de 46%. Em igual período do ano passado, o número estava em 48% e a média dos últimos cinco anos é de 51%.

     Os contratos com entrega em dezembro/2019 fecharam a 63,81 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 0,15 centavo, ou de 0,2%. Março/2020 fechou a 65,47 centavos, com elevação de 0,20 centavo, ou de 0,3%.

     Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 0,54%, sendo negociado a R$ 3,9930 para venda e a R$ 3,9910 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,9850 e a máxima de R$ 4,0250.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA