Correção em NY favorece retração dos produtores de café

98

     Porto Alegre, 7 de novembro de 2019 – A queda de Nova York deve segurar o ritmo de alta nos preços internos do café. As cotações estão firmes. Ontem, a valorização do dólar ampliou a base positiva para a formação das cotações domésticas. O ritmo dos negócios ainda é moroso, com os produtores retraídos. Mas os compradores marcam presença e movimentam algumas regiões.

NOVA YORK

* Os contratos com vencimento em dezembro operam com baixa de 0,85 centavo em Nova York, cotados a 107,15 centavos de dólar por libra-peso, o equivalente a 0,78%.

* Depois de subir mais de 4% nas últimas duas sessões, o mercado está sendo pressionado por um movimento de realização de lucros por parte de fundos e especuladores.

CÂMBIO

* O dólar comercial apresenta desvalorização de 0,26%, cotado a R$ 4,071.

* A moeda corrige, após ter subido mais de 2% ontem, impulsionada pelo resultado dos leilões realizados ontem pela ANP.

INDICADORES FINANCEIROS

* As bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, estável; e Tóquio, +0,11%

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +0,12%; Frankfurt, +0,66% e Londres, +0,34%.

* O petróleo opera em alta. Dezembro do WTI em NY: US$ 57,07 o barril (+1,27%).

* O Dollar Index registra alta de 0,03%, a 97,98 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado físico brasileiro de café registrou preços em alta nesta quarta-feira. O mercado segue com preços firmes durante toda a semana, acompanhando a valorização em Nova York, e ainda a disparada do câmbio hoje, mas com pouca oferta, com vendedores retraídos.

* Hoje os compradores foram mais agressivos, contribuindo para uma maior movimentação. Mesmo assim, não foram grandes volumes negociados no dia. O produtor, no geral, aproveitou a alta nos preços, mas seguiu dosando a oferta.

* No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 450,00/455,00 a saca, contra R$ 440,00/445,00 a saca ontem. No cerrado mineiro, o preço ficou em R$ 455,00/460,00 a saca R$ 445,00/450,00 a saca.

* Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 325,00/330,00, contra R$ 315,00/320,00.

* O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 290,00/295,00 a saca, R$ 285,00/290,00 a saca.

AGENDA

– Estimativa para a safra global de grãos – AMIS/FAO, início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (8/11)

– Alemanha:  O resultado da balança comercial e do balanço de pagamentos de

setembro será publicado às 4h pelo Destatis.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da

Agricultura, no início do dia.

– Relatório de novembro de oferta e demanda dos EUA e mundial – USDA, 14hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da

tarde.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA