Projeção do PIB da Eurozona em 2019 cai para 1,1%

63

     Porto Alegre, 7 de novembro de 2019 – A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, revisou para baixo a projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) da Eurozona para 2019 de 1,2% para 1,1%. O órgão também reconsiderou para baixo sua projeção de inflação para 2019, passando de 1,3% para 1,2%.

     Segundo o órgão, o cenário econômico mundial piorou desde o último relatório, publicado em 10 de julho, o que afeta diretamente os negócios do bloco econômico europeu.

     A Comissão destaca as incertezas em torno da guerra comercial entre China e Estados Unidos, a saída ainda incerta do Reino Unido da União Europeia e as tensões geopolíticas no Oriente Médio como principais motores da atual instabilidade econômica.

     De acordo com o relatório, as “incertezas sobre a política comercial persistem, inclusive sobre as relações futuras entre o Reino Unido e o resto do bloco, agravadas por mudanças estruturais, como também mudanças nas preferências dos consumidores na indústria automobilística”.

     A Comissão também notou que “durante o trimestre, a re-intensificação das tensões econômicas entre os Estados Unidos e a China e a incerteza política elevada afetaram o investimento, a fabricação e o comércio globais”, o que, segundo ela, tornou a recuperação modesta vista no primeiro trimestre pouco efetiva.

     Com isso, o órgão explica que as empresas e fábricas tem adotado medidas de cortes de custo em vez de aumentar os preços finais, diminuindo os valores das mercadorias e trazendo a inflação para baixo.

     Apesar disso, o documento afirma que o mercado de trabalho da região continua forte, com uma taxa de desemprego igual ao período pré-crise. Com isso, a renda é mais alta e o poder de consumo do povo europeu continua alto, o que colabora para um maior consumo doméstico.

     “No entanto, é improvável que todos esses fatores sejam fortes o suficiente para impulsionar o crescimento a uma trajetória mais alta do que este ano”, destacou a Comissão.

2020 e 2021

     Já para 2020, a projeção da Comissão Europeia foi revisada de 1,6% para 1,4%. Para 2021, o prospecto é de que o crescimento fique em 1,2%. O índice de inflação também foi revisado para baixo: o de 2020 passou de 1,3% para 1,2%. Já a projeção para 2021 foi de 1,3%.

     Segundo o relatório, “nos próximos dois anos, a incerteza elevada em torno da política comercial dos norte-americanos, as preocupações com a capacidade da Organização Mundial do Comércio (OMC) de manter o sistema multilateral de comércio e tensões geopolíticas no Oriente Médio devem durar e pesar no crescimento global”.

     A Comissão Europeia também destacou alguns problemas estruturais como causa da desaceleração econômica a longo-termo. Entre elas estariam “o envelhecimento da população e tendências de baixa produtividade, a desaceleração da China, tendências protecionistas e o impacto das mudanças climáticas”, concluiu. Com informações da Agência CMA.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS