Retração do produtor deve garantir firmeza aos preços do milho

82

     Porto Alegre, 11 de novembro de 2019 – O mercado brasileiro de milho deve iniciar a semana com preços firmes, em meio à continuidade do movimento de retenção de oferta por parte dos produtores. No cenário internacional a Bolsa de Chicago corrige os ganhos de sexta-feira e recua.

CHICAGO

* Os contratos com entrega em dezembro/19 operam com perda de 3,00 centavos, ou 0,79%, cotada a US$ 3,74 1/4 por bushel.

* O mercado é pressionado pela fraca demanda pelo cereal norte-americano. Nem mesmo a previsão de safra menor nos Estados Unidos é capaz de limitar as perdas.

* Na sexta-feira, o mercado repercutiu os números do relatório de oferta e demanda de novembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na semana, a posição dezembro acumulou queda de 3,08%.

* Os Estados Unidos deverão colher 13,661 bilhões de bushels do cereal na temporada 2019/20, ante os 13,779 bilhões indicados em outubro, enquanto o mercado apostava em um número de 13,602 bilhões de bushels. O USDA prevê que os estoques finais da safra 2019/20 ficarão em 1,910 bilhão de bushels, ante os 1,929 bilhão de bushels apontados em outubro, enquanto o mercado esperava um número de 1,799 bilhão de bushels.

* Os estoques finais da safra mundial 2019/20 foram projetados em 295,96 milhões de toneladas, contra as 302,55 milhões de toneladas apontadas em outubro, enquanto mercado apostava em um número de 299,5 milhões de toneladas.

* Para a temporada 2018/19, os estoques finais de passagem foram indicados em 320,06 milhões de toneladas, contra uma expectativa do mercado de 323,9 milhões de toneladas.

* Na sexta-feira (8), os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,77 1/4, alta de 2,00 centavos de dólar, ou 0,53%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial oscila sem rumo único frente ao real em correção em meio ao exterior avesso ao risco com dúvidas quanto os avanços nas tratativas comerciais entre Estados Unidos e China na reta final do ano.

* O mercado de ações opera negativo refletindo as tensões em Hong Kong que refletiu em forte queda da bolsa. Aqui, investidores acompanham os desdobramentos da liberdade do ex-presidente Lula.

* Às 9h44 (de Brasília), a moeda norte-americana operava com ligeira alta de 0,04% no mercado à vista, cotada a R$ 4,1700 para venda, enquanto o contrato para dezembro subia 0,13%, a R$ 4,1740. Lá fora, o Dollar Index tinha queda de 0,17%, aos 98,187 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -1,83%; e Tóquio, -0,26%.

* As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,07%; Frankfurt, -0,39% e Londres, -1,16%.

* O petróleo opera em baixa. Dezembro do WTI em NY: US$ 56,72 o barril (-0,9%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,22%, a 98,13 pontos.

MERCADO

* O mercado brasileiro de milho segue com preços firmes. “O dólar deve subir ainda mais forte na semana que vem com fuga de capitais do país. Com isso, o produtor ficou ainda mais retraído”, disse o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari. 

* No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 40,00/43,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 40,00/43,00 a saca.

* No Paraná, a cotação ficou em R$ 39,00/40,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 42,00/43,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 45,00/46,00 a saca.

* No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 44,00/45,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 40,00/42,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 35,00/37,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 29,00/35,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

AGENDA

– Dados da balança comercial de novembro – Ministério da Economia, 15hs.

– Exportações brasileiras de café em outubro – Cecafé, 16hs.

– Resultado financeiro da Cosan.

—-Terça-feira (12/11)

– Reino Unido:  A taxa de desemprego do trimestre até setembro será publicada às 6h30 pelo departamento de estatísticas.

– Dados semanais sobre a safra de grãos e café do Paraná (Deral), na parte da manhã.

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 13hs.

– Condições das lavouras nos Estados Unidos – USDA, 18hs.

—–Quarta-feira (13/11)

– Eurozona:  A produção industrial de setembro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Levantamento para a safra brasileira de grãos em 2019/20 – Conab, 9hs.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola – IBGE, 9hs.

– EUA: O índice de preços ao consumidor de outubro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

—–Quinta-feira (14/11)

– Japão: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre de 2019 será publicada na noite anterior pela pelo gabinete do governo.

– China: A produção industrial de outubro será publicada na noite anterior pelo departamento de estatísticas.

– A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços – 10 (IGP-10) referentes a novembro.

– EUA: O índice de preços ao produtor de outubro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 13hs pelo Departamento de Energia (DoE).

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Levantamento mensal com projeções para a safra argentina – Ministério da Agricultura argentino, na parte da tarde.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (15/11)

– Alemanha:  A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) de terceiro trimestre de 2019 será publicada às 4h pelo Destatis.

– Eurozona:  A leitura revisada do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre de 2019 será publicada às 7h pela Eurostat.

– Eurozona:  A balança comercial de setembro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Feriado no Brasil – Proclamação da República.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: Os dados sobre a produção industrial em outubro serão publicados às 11h15 pelo Federal Reserve.

– Esmagamento de soja dos Estados Unidos em outubro – NOPA, a partir das 13hs.

– Estoques de café dos EUA em outubro – GCA, a partir das 17hs.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA