Maior interesse comprador pode favorecer negócios no Brasil

132


     Porto Alegre, 11 de dezembro de 2019 – O mercado brasileiro de milho deve operar com preços firmes nesta quarta-feira. A retenção de oferta por parte dos produtores e o maior interesse dos consumidores na busca pelo cereal para a formação de estoques pode favorecer maiores volumes de negócios. No cenário internacional a Bolsa de Chicago opera com perdas, revertendo os ganhos da última sessão.

CHICAGO

* Os contratos com entrega em março/20 operam com queda de 1,50 centavo, ou 0,39%, em relação ao fechamento anterior, cotada a US$ 3,75 1/2 por bushel.

* Após a reação de ontem, determinada pelo relatório de oferta e demanda de dezembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o mercado volta a ser pressionado pela fraca demanda pelo cereal norte-americano.

Os Estados Unidos deverão colher 13,661 bilhões de bushels do cereal na temporada 2019/20, mesmo volume previsto no mês anterior. O USDA prevê que os

estoques finais da safra 2019/20 ficarão em 1,910 bilhão de bushels, sem

alterações ante novembro, enquanto o mercado esperava um número de 1,859 bilhão de bushels.

    A safra global 2019/20 foi estimada em 1.108,62 milhão de toneladas, contra 1.102,16 milhão de toneladas em novembro. Os estoques finais da safra mundial 2019/20 foram projetados em 300,56 milhões de toneladas, contra as 295,96 milhões de toneladas apontadas em novembro, enquanto mercado apostava em um número de 295,6 milhões de toneladas. O destaque ficou com a China, que teve sua estimativa de produção elevada de 254 milhões de toneladas para 260,77 milhões de toneladas.

     Ontem (10), os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 3,77, com alta de 1,25 centavo ou 0,33%.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera em queda frente ao real em dia de agenda pesada com as decisões de política monetária aqui e nos Estados Unidos no qual investidores aguardam atentos os comunicados sinalizando os passos das autoridades monetárias em 2020, além das projeções econômicas norte-americanas para o período. O mercado segue atento também às notícias envolvendo as tratativas comerciais entre Estados Unidos e China.

* Às 9h44 (de Brasília), a moeda norte-americana operava em queda de 0,50% no mercado à vista, cotada a R$ 4,1280 para venda, enquanto o contrato para janeiro recuava 0,49%, a R$ 4,1300. Lá fora, o Dollar Index tinha alta de 0,13%, aos 97,535 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, +0,24%; e Tóquio, -0,14%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,08%; Frankfurt, +0,45% e Londres, -0,01%.

* O petróleo opera em baixa. Janeiro do WTI em NY: US$ 59,02 o barril (-0,37%).

* O Dollar Index registra alta de 0,12% a 97,498 pontos.

MERCADO

* O mercado brasileiro de milho manteve preços firmes nesta terça-feira. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a oferta permanece restrita em grande parte do país. “Os consumidores em diversos estados seguem preocupados em posicionar seus estoques para a segunda quinzena do mês, período em que haverá maior morosidade na logística devido às festividades de final de ano”, indica. Ele acredita em uma demanda aquecida nas primeiras semanas do ano. “Os produtores em geral seguem apostando na retenção como estratégia recorrente”, aponta.

* No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 40,00/48,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 42,00/50,00 a saca.

* No Paraná, a cotação ficou em R$ 42,00/44,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 45,50/46,50 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 48,50/49,00 a saca.

* No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 45,00/46,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 46,00/48,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 41,00/43,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 36,00/37,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

AGENDA

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– EUA: A decisão de política monetária de janeiro será publicada às 16h pelo Federal Reserve.

– Definição da taxa Selic – Copom/BC, no final do dia.

—–Quinta-feira (12/12)

– Alemanha:  A versão revisada do índice de preços ao consumidor de novembro será publicada às 4h pelo Destatis.

– Eurozona:  A produção industrial de outubro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Eurozona:  A decisão de política monetária será publicada às 9h45 pelo Banco Central Europeu (BCE).

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (13/12)

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA