Alinhados à paridade de exportação, preços de algodão acumulam alta

199

     Porto Alegre, 13 de dezembro de 2019 – Com um acordo comercial entre Estados Unidos e China, mesmo que provisório, próximo de ser fechado, as cotações do algodão apresentaram altas expressivas na Bolsa de Nova York e permitiram que os preços domésticos mantivessem a tendência de recuperação.

     A indicação média no CIF de São Paulo se encontra em R$ 2,66 por libra-peso, com alta de 0,38% em relação ao fechamento da semana passada. Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, os preços da pluma no Brasil seguem a paridade de exportação. “Uma recuperação mais significativa só não ocorreu devido à acomodação do dólar em relação ao real”, lembra.

     Depois de experimentar níveis recordes no final de novembro, a moeda norte-americana perdeu força e, no início desta sexta-feira (13), acumulava perdas de 2,5% em relação à semana passada. No mesmo momento, a Bolsa de Nova York apresentava alta semanal de 4,0%.

      No FOB do porto de Santos/SP, no final da manhã desta sexta-feira (13) a fibra brasileira era colocada à disposição de compradores internacionais a 66,55 cents de dólar por libra-peso, se elevando 2,91% em relação ao fechamento da semana passada e 5,75% quando comparado ao mesmo período do mês passado.

     Na comparação com o contrato de maior liquidez na Bolsa de Nova York (março/20), o produto brasileiro está 1,56% mais acessível. Há uma semana, era indicado por um valor 0,5% inferior e, há um mês, 4,71% menor. “Isso mostra que o produto brasileiro segue ajustado à paridade de exportação, mantendo-se competitivo em relação ao da fibra norte-americana”, destaca Bento.

     Essa manutenção da competitividade externa é imprescindível nesta temporada em que o Brasil colheu uma safra que supera seu consumo em mais de 2,0 milhões de toneladas. “A boa notícia é que as exportações mantêm um ritmo acelerado”, lembra o analista. Até a 26ª semana da temporada chegaram a 950,118 mil toneladas (recorde para o período). Esse volume supera as 583,728 toneladas embarcadas no mesmo período do ano comercial anterior em 62,8%.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA