NY sobe 6% com dólar em baixa e apreensão com oferta mais apertada

269

 

Porto Alegre, 16 de dezembro de 2019 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta segunda-feira com preços acentuadamente mais altos.

 

A sessão foi novamente de volatilidade extrema. Um forte movimento de compras de fundos e de especuladores fez o mercado disparar novamente e testar a importante linha técnica e psicológica de US$ 1,40 a libra-peso no contrato março. A máxima do dia para esta posição foi de 141,50 centavos, mas o mercado encontrou resistência e realização de lucros neste patamar e acabou fechando abaixo de US$ 1,39, o que mostra um nível a ser vencido na alta. Na sexta-feira (dia 13), o mercado também testou US$ 1,40 e não se manteve acima deste nível, apresentando depois correção técnica para baixo.

 

A queda do dólar contra o real no Brasil estimulou intensas compras, trazendo indicação e sentimento de perda de competitividade para as exportações brasileiras. Os preços foram subindo e rompendo algumas resistências, atraindo mais compras.

 

Há preocupações com a oferta global na temporada 2019/20, com expectativa de um quadro de maior aperto em relação à demanda. Boa parte das previsões indica déficit na oferta global contra a demanda. E o forte fluxo dos embarques brasileiros, combinado com revisão para baixo na safra do país em 2019, leva o mercado a acreditar em estoques muito apertados ao final da temporada 2019/20 no Brasil, em que pese a expectativa de uma grande safra do país em 2020.

 

Também existem apreensões com a oferta de cafés suaves, como os arábicas colombianos e da América Central, que garantem também essa mudança de patamar nas cotações. Há preocupações com o clima em Honduras.

 

O mercado atingiu as cotações mais elevadas desde outubro de 2018. E nos últimos dois meses, entre o fechamento de 16 de outubro e deste 16 de dezembro, o contrato março acumula uma alta de 43,2%.

 

Os contratos com entrega em março/2020 fecharam o dia a 138,95 centavos de dólar por libra-peso, com elevação de 8,05 centavos, ou de 6,1%. Maio/2020 fechou a 141,00 cents, com alta de 8,00 centavos, ou de 6,0%.

 

Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

 

Copyright 2019 – Grupo CMA