Mercado suíno mantém preços firmes, mesmo com lentidão nos negócios

277

Porto Alegre, 20 de dezembro de 2019 – O mercado brasileiro de carne suína manteve um quadro de firmeza nos preços, ainda que o ritmo de negócios entre atacado e varejo tenha começado a perder intensidade. “Este é um sinal de que as redes varejistas já estão com seus estoques preparados para atender a demanda das festividades, faltando pequenos ajustes apenas”, destaca o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia.

A expectativa é que o fluxo de negócios no varejo ganhe força no decorrer da quinzena, com a entrada de bonificações e décimo terceiro salário na economia. “O fluxo de exportações será fundamental para o ajuste da disponibilidade doméstica no primeiro trimestre de 2020, período onde tipicamente a demanda interna é menor, com famílias assumindo despesas adicionais”, comenta.

A tendência é de continuidade nos bons resultados da exportação brasileira, considerando que a China continua sofrendo com grande déficit de oferta, o que deve levar o país a atuar com avidez no mercado global no curto e médio prazo.

Levantamento de SAFRAS & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo na região Centro-Sul do Brasil passou de R$ 5,18 para R$ 5,28, alta de 1,99%. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado ficou em R$ 9,21, alta de 0,78% frente aos R$ 9,14 praticados na semana passada. A carcaça registrou um valor médio de R$ 9,01, aumento de 1,98% frente à semana passada, de R$ 8,84.

As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 74,7 milhões em dezembro (10 dias úteis), com média diária de US$ 7,5 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 30,7 mil toneladas, com média diária de 3,1 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.430,10.

Em relação a novembro, houve alta de 8,0% na receita média diária, ganho de 6,9% no volume diário e avanço de 1,0% no preço. Na comparação com dezembro de 2018, houve aumento de 57,8% no valor médio diário exportado, ganho de 28,8% na quantidade média diária e elevação de 22,6% no preço. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

A análise de preços de SAFRAS & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo ao longo da semana passou de R$ 119,00 para R$ 120,00. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo seguiu em R$ 4,20. No interior do estado a cotação aumentou de R$ 5,50 para R$ 5,60.

Em Santa Catarina o preço do quilo na integração subiu de R$ 4,20 para R$ 4,30. No interior catarinense, a cotação avançou de R$ 5,65 para R$ 5,70. No Paraná o quilo vivo avançou de R$ 5,50 para R$ 5,65 no mercado livre, enquanto na integração o quilo vivo permaneceu em R$ 4,20.

No Mato Grosso do Sul a cotação na integração permaneceu em R$ 4,30, enquanto em Campo Grande o preço seguiu em R$ 4,50. Em Goiânia, o preço subiu de R$ 5,90 para R$ 6,30. No interior de Minas Gerais o quilo do suíno aumentou de R$ 6,00 para R$ 6,40. No mercado independente mineiro, o preço também se elevou de R$ 6,00 para R$ 6,40. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis avançou de R$ 4,70 para R$ 4,77. Já na integração do estado a cotação seguiu em R$ 4,10.

Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA