Mercado de frango fecha 2019 com consumo interno aquecido

487

     Porto Alegre, 27 de dezembro de 2019 – O mercado brasileiro de carne de frango vai fechando a última semana de negócios de 2019 com um quadro de demanda bastante aquecido, por conta da tradicional procura mais efetiva para as festas de final de ano. “A procura ganhou ainda mais efetividade com a explosão de preços do boi gordo e da carne bovina, fazendo com que a população elevasse a demanda por proteínas de preços mais atrativos, como a carne de frango”, comenta o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias.

     Segundo Iglesias, se ao longo de todo o ano o setor não obteve grandes avanços frente ao ano anterior em termos de volume nas exportações, por conta da redução na participação em mercados não tradicionais, ao menos conseguiu consolidar as vendas para o mercado chinês.

     Segundo levantamento de SAFRAS & Mercado, até o fechamento de novembro, a China havia respondido pela importação de 504 mil toneladas de carne de frango do Brasil no ano, com um avanço de 25,7% frente ao mesmo período do ano anterior e se consolidando como o principal importador do país, gerando uma receita superior a US$ 1,055 bilhão. “A expectativa é de que este mercado permaneça bastante atrativo ao Brasil no próximo ano”, disse.

     O balanço de 2019 mostra que os preços do frango vivo no atacado de São Paulo tiveram boa valorização ao longo do ano. O quilo do peito no atacado passou de R$ 5,40 para R$ 6,70, o quilo da coxa de R$ 4,80 para R$ 6,50 e o quilo da asa de R$ 8,00 para R$ 11,40. Na distribuição, o quilo do peito subiu de R$ 5,60 para R$ 6,80, o quilo da coxa de R$ 5,00 para R$ 6,60 e o quilo da asa de R$ 8,20 para R$ 11,50.

     Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário também foi de mudanças ao longo do ano, com boa valorização nas cotações. No atacado, o preço do quilo do peito subiu de R$ 5,50 para R$ 6,80, o quilo da coxa aumentou de R$ 4,92 para R$ 6,62 e o quilo da asa de R$ 8,08 para R$ 11,48. Na distribuição, o preço do quilo do peito avançou de R$ 5,70 para R$ 6,90, o quilo da coxa subiu de R$ 5,12 para R$ 6,72 e o quilo da asa aumentou de R$ 8,28 para R$ 11,58.

     O levantamento anual realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil indicou que, em Minas Gerais, o quilo vivo avançou de R$ 2,80 para R$ 3,50. Em São Paulo o quilo vivo subiu de R$ 2,90 para R$ 3,50.

     Na integração catarinense a cotação do frango baixou de R$ 2,55 para R$ 2,49. No oeste do Paraná o preço aumentou de R$ 2,50 permaneceu em R$ 3,12. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo avançou de R$ 2,60 para R$ 3,10.

     No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango passou de R$ 2,70 para R$ 3,12. Em Goiás o quilo vivo aumentou de R$ 2,75 para R$ 3,45. No Distrito Federal o quilo vivo subiu de R$ 2,80 para R$ 3,50.

     Em Pernambuco, o quilo vivo subiu de R$ 3,90 para R$ 4,20. No Ceará a cotação do quilo vivo avançou de R$ 3,90 para R$ 4,20 e, no Pará, o quilo vivo aumentou de R$ 4,10 para R$ 4,40.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA