Oferta limitada de milho deve garantir preços firmes no Brasil

254


     Porto Alegre, 3 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve fechar a semana com cotações firmes. A oferta ainda limitada é um fator que deve ajudar a sustentar os preços do cereal. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago recua, devolvendo os ganhos da última sessão.

CHICAGO

* Os contratos de milho com entrega em março operam a US$ 3,89 1/4, com baixa de 2,25 centavos ou 0,57%.

* Os contratos do milho têm preços mais baixos na sessão eletrônica na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). A tensão mundial, causada pelo ataque dos Estados Unidos à general do Irã, traz perdas às commodities e bolsas acionárias em geral. No acumulado da semana,

os preços do cereal estão praticamente estáveis.

* O Presidente norte-americano, Donald Trump, ordenou ataques aéreos que mataram um general de topo do Irã, Qassem Soleimani, o líder de uma ala da Guarda Revolucionária do Irã que opera no estrangeiro. Esse ataque aumenta as tensões entre Washington e Teerã. As informações partem de agências internacionais.

*Ontem (2), os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 3,91 1/4, com alta de 3,75 centavos ou 0,96%.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com alta de 0,89% a US$ 4,061.

* A tensão geopolítica decorrente dos problemas no Oriente Médio atinge as moedas dos países emergentes, caso do Brasil

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em mistas. Xangai, -0,05%, e Tóquio, feriado.

* As principais bolsas na Europa operam com perdas. Paris, -0,49%; Frankfurt, -1,72% e Londres, -0,31%.

* O petróleo opera em alta. Fevereiro do WTI em NY: US$ 63,41 o barril (+3,66%).

* O Dollar Index registra alta de 0,2%, a 97,04 pontos.

MERCADO

*O mercado brasileiro de milho apresentou preços de estáveis a mais altos nesta quinta-feira. Na maior parte das praças, os valores seguiram inalterados. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o mercado não apresentou movimentação no dia, mas há sinais de altas nas cotações adiante em função da oferta limitada.

* No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 41,00/48,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 41,00/48,50 a saca.

 No Paraná, a cotação ficou em R$ 43,00/44,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 47,00/48,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 50,00/50,50 a saca.

* No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 46,00/47,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 50,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 42,00/43,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 38,00/40,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

AGENDA

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– EUA: A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 13h00 pelo Departamento de Energia (DoE).

– EUA: A ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) será divulgada às 17h pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA