Alta do custo de produção preocupa setor avícola

257

     Porto Alegre, 10 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de frango registrou uma semana de retração nas cotações, especialmente no atacado. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, o setor se depara com um movimento de correção, algo natural no primeiro bimestre. “Neste período o consumidor médio arca com maiores custos em seu orçamento, o que força uma mudança comportamental, levando a uma retração da demanda”, explica.

     Em contrapartida, segundo o analista, um ponto de preocupação neste momento está nos custos de produção, que tem aumentado consideravelmente devido o descolamento dos preços do milho no mercado doméstico.

     De acordo com levantamento de SAFRAS & Mercado, no atacado de São Paulo os preços tiveram alterações para os cortes congelados de frango na semana frente à anterior. O quilo do peito no atacado passou de R$ 6,70 para R$ 6,20, o quilo da coxa de R$ 6,50 para R$ 6,35 e o quilo da asa de R$ 11,40 para R$ 10,50. Na distribuição, o quilo do peito retrocedeu de R$ 6,80 para R$ 6,20, o quilo da coxa de R$ 6,60 para R$ 6,45 e o quilo da asa de R$ 11,50 para R$ 10,75.

     Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário também foi de mudanças ao longo da semana. No atacado, o preço do quilo do peito caiu de R$ 6,80 para R$ 6,30, o quilo da coxa de R$ 6,62 para R$ 6,47 e o quilo da asa de R$ 11,48 para R$ 10,58. Na distribuição, o preço do quilo do peito retrocedeu de R$ 6,90 para R$ 6,50, o quilo da coxa de R$ 6,72 para R$ 6,57 e o quilo da asa de R$ 11,58 para R$ 10,53.

     No que tange aos embarques, houve registro de crescimento em 2019, de acordo com a Associação Brasileira de Proteina Animal (ABPA). As vendas das exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos produtos, entre in natura e processados) encerraram 2019 com saldo positivo em volume e receita. Ao todo, foram exportadas 4,212 milhões de toneladas nos 12 meses do ano, volume 2,8% superior ao registrado ao longo de 2018, com 4,1 milhões de toneladas.

     Apenas em dezembro, foram embarcadas 391,9 mil toneladas, número 11,2% superior às 352,5 mil toneladas efetivadas no último mês de 2018. O número é o melhor desempenho mensal registrado ao longo de 2019.

     Em receita, as vendas do setor em 2019 totalizaram US$ 6,994 bilhões, número 6,4% superior ao alcançado em 2018, com US$ 6,570 bilhões. Considerando apenas o mês de dezembro, a alta nas exportações chegou a 9,6%, com US$ 636 milhões no último mês de 2019, contra US$ 580,1 milhões registrados em dezembro de 2018.

     A China assumiu em 2019 a liderança entre os destinos internacionais da carne de frango do Brasil, com importações totais de 585,3 mil toneladas, volume 34% superior ao realizado em 2018, com 438 mil toneladas.  Apenas em dezembro, o país asiático importou 72 mil toneladas, volume 94% superior ao efetivado no último mês de 2018. “A crise sanitária que impactou a suinocultura chinesa também influenciou o aumento das exportações de carne de frango.  É o maior volume anual já exportado para a China desde a abertura do mercado em 2009 e houve uma notável elevação do ritmo no fim de ano”, destaca Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

     O levantamento realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil indicou que, em Minas Gerais, o quilo vivo permaneceu em R$ 3,50. Em São Paulo o quilo vivo baixou de R$ 3,50 para R$ 3,20.

     Na integração catarinense a cotação do frango passou de R$ 2,49 para R$ 2,54. No oeste do Paraná o preço baixou de R$ 3,12 para R$ 3,09. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo caiu de R$ 3,10 para R$ 2,80.

     No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango passou de R$ 3,12 para R$ 3,15. Em Goiás o quilo vivo permaneceu em R$ 3,45. No Distrito Federal o quilo vivo permaneceu em R$ 3,50.

     Em Pernambuco, o quilo vivo continuou em R$ 4,20. No Ceará a cotação do quilo vivo se manteve em R$ 4,20 e, no Pará, o quilo vivo seguiu em R$ 4,40.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA