Cautela dos negociadores trava mercado interno de café

473

    Porto Alegre, 10 de janeiro de 2020 – A tendência é de mais um dia de escassos negócios e de preços sob pressão no mercado brasileiro de café. Os contratos futuros sobem, recuperando parte das perdas recentes, mas o dólar recua sobre o real. Com a dificuldade de formar o preço interno, os negociadores se afastam do mercado.

NOVA YORK

* Os contratos com vencimento em março operam a 119,00 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 1,5%.

* Os contratos para março fecharam nesta quinta-feira a 117,35 centavos de dólar por libra-peso, com queda de 1,80 centavo, ou de 1,5%.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,29% a R$ 4,073.

INDICADORES FINANCEIROS

* As bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, -0,08%; e Tóquio, +0,47%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,02%; Frankfurt, +0,21% e Londres, -0,09%.

* O petróleo opera em alta. Fevereiro do WTI em NY: US$ 59,69 o barril (+0,2%).

* O Dollar Index registra alta de 0,05% a 97,50 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado físico brasileiro de café teve uma quinta-feira de preços de estáveis a mais baixos. A queda do arábica na Bolsa de Nova York voltou a pressionar as cotações no Brasil. O efeito só não foi maior pela valorização do dólar. E, com esse cenário, o mercado continua pouco movimentado e curto de negócios, com um ou outro lote pequeno saindo de cafés mais fracos de qualidade.

* No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 485,00/490,00 a saca, contra R$ 490,00/495,00 anteriormente. No cerrado mineiro, preço de R$ 490,00/495,00 a saca, contra R$ 500,00/505,00 anteriormente.

* Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 345,00/350,00 a saca, estável.

* O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 295,00/300,00 a saca, estável.

AGENDA

– EUA: o número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a dezembro serão publicados às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Relatório de janeiro de oferta e demanda dos EUA e mundial – USDA, 13hs.

– Levantamento de estoques trimestrais de grãos dos EUA em 1 de dezembro – USDA, 13hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA