Açúcar tem quarta-feira de preços de estáveis a mais altos no Brasil

343

     Porto Alegre, 15 de janeiro de 2020 – Em dia de ganhos para o açúcar na Bolsa de Nova York e de subida do dólar, as cotações no Brasil ficaram de estáveis a mais altas. Em Santos, a saca de 50 kg de açúcar com até 150 Icumsa encerrou a quarta-feira estável a R$ 72,00 (US$/cents 15,62). Em Ribeirão Preto preços em alta de 1,39% a R$ 73,00 (US$/cents 15,84). Embarcado em big bags ela é cotada a US$ 72,00 (US$/cents 15,62). O açúcar com maior coloração, com 180 Icumsa, fico cotado ao redor de R$ 72,00 (US$/cents 15,62). Produto com 200 Icumsa foi cotado na faixa de R$ 71,00 (US$/cents 15,41).

     O açúcar com 300 Icumsa oscilou ao máximo de R$ 70,00 (US$/cents 15,19). O etanol hidratado se mostrou 8,15% mais vantajoso que o açúcar bruto em Nova York equivalendo a US$/cents 14,00 (PVU) e 7,22% mais vantajoso que o açúcar cristal de Ribeirão Preto, equivalendo a R$ 50kg 78,27 (US$/cents 16,98).

     Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com preços mais altos.

      O mercado continua refletindo a apreensão com a oferta global, com uma série de fatores garantindo ganhos. A queda na produção da Índia de 30% até aqui em 2019/20 (outubro a dezembro de 2019) mantém suporte aos preços. No Brasil, a queda na moagem de cana-de-açúcar ao final do ano contribui para o suporte às cotações.

     O consultor de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci, salienta que a demanda forte de etanol, “que reduz o mix do açúcar”, pressiona para cima as cotações. Com a demanda maior pelo etanol as usinas produzem mais o combustível e menos açúcar, reduzindo a oferta e dando sustentação para os valores da commodity na bolsa. A entressafra no Brasil é outro fator altista. Muruci indica que há muito movimento comprador com as especulações diante de projeções que os preços em NY podem atingir 14,75 centavos.

     Muruci comenta ainda que as notícias do acordo comercial entre Estados Unidos e China sustentam as commodities e o açúcar também é favorecido. A queda do petróleo, entretanto, foi fator limitante para os avanços, assim como a alta do dólar contra o real.

     Os contratos com entrega em março/2020 do açúcar bruto encerraram o dia a 14,52 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 0,20 centavo (ou 1,4%) em relação ao fechamento anterior.

     Câmbio

     O dólar comercial fechou a negociação em alta de 1,18%, cotado a R$ 4,1790 para compra e a R$ 4,1810 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,1400 e a máxima de R$ 4,1850.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA