Com oferta reduzida, arroz gaúcho mantém firmeza nos preços

301

     Porto Alegre, 17 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de arroz manteve a firmeza dos preços ao final desta terceira semana de janeiro. Na média do Rio Grande do Sul, principal referencial nacional, a indicação de preço ficou em R$ 49,83 pela saca de 50 quilos, sendo 2,78% superior à semana anterior. Em relação à igual momento do ano passado, a elevação é de 3,53% superior ao mês anterior. Frente ao mesmo período do ano anterior, a alta é de 24,12%.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, este início do ano confirma as expectativas de preços mais altos, com uma oferta de grãos menor, causada pela redução de área, chuvas em excesso no plantio e a seca entre dezembro e janeiro. “Os grandes volumes de exportação e o pico da entressafra se aproximando, com pouca disponibilidade de grão e um estoque de passagem entre os mais baixos das últimas décadas, também dão suporte para os preços do cereal”, pondera. Em Santa Catarina, a colheita se encontra em fase muito inicial. Com apenas aqueles produtores que plantaram muito cedo já colhendo.

     No âmbito externo, destaque para o relatório de janeiro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que estimou a produção mundial de arroz beneficiado em 496,67 milhões de toneladas para 2019/20, ante 498,40 milhões no mês anterior. Para 2018/19, foi estimada safra de 499,16 milhões de toneladas.

     As exportações mundiais de arroz beneficiado foram estimadas em 45,59 milhões de toneladas para 2019/20, ante 45,67 milhões no mês passado. A estimativa para o consumo é de 494,00 milhões de toneladas de beneficiado para 2019/20, ante 493,83 milhões de toneladas indicadas no mês anterior. Baseado nas estimativas de produção, exportação e consumo, os estoques finais mundiais de arroz beneficiado na temporada 2019/20 foram previstos em 177,05 milhões de toneladas, ante 177,80 milhões de toneladas no relatório passado. Para 2018/19, foram estimados estoques de 174,39 milhões de toneladas.

     A Índia deverá produzir 115 milhões de toneladas beneficiadas em 2019/20; a Tailândia, 18,5 milhões; e o Vietnã, 28,3 milhões. A safra brasileira está estimada em 7,14 milhões de toneladas de beneficiado. A safra da Indonésia está projetada em 36,5 milhões de toneladas. A produção chinesa está estimada em 146,73 milhões de toneladas.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA