Formadores de preços em baixa devem desanimar negócios com soja no Brasil

319

     Porto Alegre, 23 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de soja deve ser influenciado negativamente nesta quinta-feira pelos dois mais importantes formadores de preços. O dólar mostra fraqueza frente ao real, enquanto a Bolsa de Mercadorias de Chicago recua cerca de 0,5%, em meio a fraca demanda chinesa pelo produto norte-americano mesmo após a assinatura da primeira fase do acordo entre os dois países. Neste contexto, o interesse em negociar deve ser limitado. 

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em março de 2020 operam cotados a US$ 9,09 ½ por bushel, perda de 4,25 centavos de dólar por bushel, ou 0,46%, em relação ao fechamento anterior.

* O mercado mantém a recente rotina de perdas, à espera de sinais de aumento da demanda chinesa pelo produto norte-americano após a assinatura da “fase um” do acordo entre Washington e Pequim. Ontem, o grão atingiu o pior nível em mais de um mês.

PRÊMIOS

* O prêmio em Paranaguá para fevereiro ficou em 46 a 57 pontos acima de Chicago. Para março, o valor é de 46 a 55 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,19% a R$ 4,1680.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -2,75%; e Tóquio, -0,98%.

* As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,01%; Frankfurt, -0,38% e Londres, -0,40%.

* O petróleo opera em forte baixa. Fevereiro do WTI em NY: US$ 55,67 o barril (-1,88%).

* O Dollar Index registra alta de 0,02% a 97,317 pontos.

MERCADO INTERNO

* Os preços da soja permaneceram sem direção definida no Brasil, nesta quarta-feira. O dólar apresentou um recuo significativo e as cotações em Chicago tiveram seu segundo dia seguido de desvalorização. No geral, foram registrados poucos negócios com soja no Brasil. Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul tiveram média de 10 mil toneladas sendo negociadas ao longo do dia.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 85,00 a saca. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 83,50. No porto de Rio Grande, o preço estabilizou em R$ 88,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço caiu de R$ 82,00 para R$ 81,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou em R$ 88,00 para R$ 87,50.

* Em Rondonópolis (MT), a saca permaneceu em R$ 78,00. Em Dourados (MS), a cotação estabilizou em R$ 77,50. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 79,00.

AGENDA

—–Quinta-feira (23/01)

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 13h00 pelo Departamento de Energia (DoE).

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (24/01)

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

    Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA