Milho segue com firmeza nas cotações com oferta limitada

364

     Porto Alegre, 23 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de milho registrou preços de estáveis a mais altos novamente nesta quinta-feira. Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, em grande parte do país a retenção ainda é adotada como estratégia pelos produtores, oferecendo sustentação aos preços domésticos. “Com o avanço da colheita da soja a tendência é que a logística seja um complicador adicional, com um possível encarecimento do custo de frete”, ratifica.

    No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 40,00/47,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 41,00/50,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 46,00/47,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 49,00/50,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 53,00/54,00 a saca.

    No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 48,00/50,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 47,50/48,50 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 45,00/46,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 41,00/43,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível

     Chicago

     A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços significativamente mais altos. Ainda em meio ao quadro de incerteza quanto à retomada de compras pela China, o mercado foi sustentado pelas vendas reportadas hoje pelo USDA a destinos não revelados e Guatemala.

     Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 114.224 toneladas de milho para a Guatemala. O cereal será entregue na temporada 2019/20. Outras 29.724 toneladas de milho foram negociadas para o mesmo destino, com entrega em 2020/21.

     Ainda foi reportada a venda de 141.000 toneladas de milho para destinos não revelados. O cereal será entregue na temporada 2019/20.

     Os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 3,93 3/4, com alta de 5,00 centavos ou 1,28%. A posição maio de 2019 fechou a US$ 3,98 1/2 por bushel, ganho de 4,25 centavos de dólar, ou 1,07%, em relação ao fechamento.

     Câmbio

     O dólar comercial fechou a negociação em baixa de 0,21%, cotado a R$ 4,1650 para compra e a R$ 4,1670 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,1570 e a máxima de R$ 4,1910.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA