Açúcar volta a apresentar altas na Bolsa de NY com preocupações com oferta

655

     Porto Alegre, 24 de janeiro de 2020 – O mercado internacional de açúcar teve uma quarta semana de janeiro marcada por ganhos importantes, tomando por base a Bolsa de Nova York. A apreensão com a oferta, com destaque para queda na produção na Índia e na Tailândia, motivou a valorização do açúcar, com o contrato março tendo se aproximado da faixa de 15 centavos de dólar por libra-peso. Nesta quinta-feira, 23, houve um movimento de baixa em NY por conta de realização de lucros, mas que não apagou as subidas da semana.

     O consultor de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci, ressaltou que a India tem produzido na atual temporada 26% abaixo do que estava no ano passado, enquanto a Tailândia deve ter uma quebra de 1 milhão de toneladas na safra atual, em função de chuvas insuficientes.

     No Brasil, o mercado interno não apresentou grandes alterações nos preços, que tenderam mais à estabilidade na semana. Em Santos, a saca de 50 kg de açúcar com até 150 Icumsa encerrou a quinta-feira estável a R$ 74,00 (US$/cents 16,11). Em Ribeirão Preto preços firmes a R$ 74,00 (US$/cents 16,11). 

     Nesta quinta-feira, o etanol hidratado se mostrou 7,21% mais vantajoso que o açúcar bruto em Nova York equivalendo a US$/cents 13,93 (PVU) e 4,92% mais vantajoso que o açúcar cristal de Ribeirão Preto, equivalendo a R$ 50kg 77,64 (US$/cents 16,90).

Etanol

     O mercado físico de etanol teve uma semana marcada por preços estáveis em função da baixa demanda das distribuidoras junto às usinas. Segundo Muruci, os níveis de competitividade muito estreitos entre o hidratado e a gasolina não têm gerado demanda nas bombas. “Na outra ponta, as usinas se mostram mais dispostas a entrar no mercado em função da proximidade da semana de pagamentos”, conclui.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA