Com preço em alta, mercado de milho deve ter negócios calmos no Brasil

207


     Porto Alegre, 24 de janeiro de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve fechar a semana com uma movimentação lenta nos negócios. O cenário de alta de preços se mantém, com a retenção de oferta pelos produtores, bem como com o encarecimento dos custos dos fretes para a retirada do milho das lavouras. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago embolsa lucros e recua após os ganhos de ontem.

CHICAGO

* Os contratos de milho com entrega em março operam a US$ 3,90 3/4, com baixa de 3,00 centavos ou 0,76%.

* O mercado embolsa parte dos lucros acumulados ontem, quando pesou a melhor demanda pelo produto norte-americano. A China, porém, segue afastada da compra de grãos dos Estados Unidos, apesar da assinatura da primeira fase do acordo entre os dois países.

* Os investidores também aguardam a divulgação do relatório de vendas líquidas semanais norte-americanas de milho.

* Ontem (23), os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 3,93 3/4, com alta de 5,00 centavos ou 1,28%.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra valorização de 0,19% a R$ 4,1750.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, não operou; e Tóquio, +0,13%.

* As principais bolsas na Europa operam firmes. Paris, +1,16%; Frankfurt, +1,40%

 e Londres, +1,66%.

* O petróleo opera em baixa. Março do WTI em NY: US$ 55,44 o barril (-0,26%).

* O Dollar Index registra ganho de 0,17%. a 97,86 pontos.

MERCADO

* O mercado brasileiro de milho registrou preços de estáveis a mais altos novamente nesta quinta-feira. Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, em grande parte do país a retenção ainda é adotada como estratégia pelos produtores, oferecendo sustentação aos preços domésticos. “Com o avanço da colheita da soja a tendência é que a logística seja um complicador adicional, com um possível encarecimento do custo de frete”, ratifica.

* No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 40,00/47,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 41,00/50,00 a saca.

* No Paraná, a cotação ficou em R$ 46,00/47,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 49,00/50,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 53,00/54,00 a saca.

* No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 48,00/50,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 47,50/48,50 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 45,00/46,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 41,00/43,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível

AGENDA

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA