Com maior demanda da indústria, arroz gaúcho sobe 6% em janeiro

238

     Porto Alegre, 31 de janeiro de 2020 – Com a indústria mais ativa no mercado nacional, o preço do arroz subiu forte no mês de janeiro, tendo os produtores firmes nas duas pedidas. Na média do Rio Grande do Sul, estado referência para preços de arroz no Brasil, a indicação ficou em R$ 51,18 por saca de 50 quilos no dia 30 de janeiro. Representa uma alta de 1,79% frente à semana anterior. Em 30 dias, a elevação é de 6,23%. Frente ao mesmo período do ano anterior, a elevação é de 25,76%.

     Segundo a Emater, as chuvas ocorridas nas regiões produtoras gaúchas ao longo da semana contribuíram para a reposição dos mananciais hídricos, trazendo um alento aos produtores de arroz atingidos pelos efeitos da estiagem em dezembro e durante boa parte de janeiro. A cultura no Rio Grande do Sul mantém bom estado de desenvolvimento e se encontra nas seguintes fases: 55% das lavouras em germinação e desenvolvimento vegetativo, 28% em floração, 14% em enchimento de grãos e 3% em maturação.

     No cenário internacional, destaque para a produção de arroz em casca da Argentina, que deve ser de 1,185 milhão de toneladas em 2019/20, ante 1,191 milhão na temporada anterior. A área total cultivada com o cereal deve atingir 185 mil hectares, ante 183 mil em 2018/19, de acordo com um adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês),

     Levando como base o arroz beneficiado, a produção deve somar 770 mil toneladas em 2019/20, ante 774 mil na temporada passada. O consumo total deve somar 460 mil toneladas beneficiadas em 2019/20, mesmo patamar do ano anterior. As exportações devem somar 330 mil toneladas, ante 370 mil toneladas na temporada anterior. Os estoques finais devem ter retração, passando de 233 mil toneladas para 218 mil toneladas.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA