Preços do milho caem em Chicago pressionados por coronavírus e menor demanda pelos EUA

417

Porto Alegre, 3 de fevereiro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pelo pessimismo causado pelo alastramento do coronavírus na China. Sinais de menor demanda pelo grão norte-americano foram observados e pressionaram as cotações.

As inspeções de exportação norte-americana de milho chegaram a 562.380 toneladas na semana encerrada no dia 30 de janeiro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava o número em 650 mil toneladas. Na semana anterior, haviam atingido 679.994 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado foi de 912.191 toneladas.

Na semana passada, a posição março acumulou desvalorização de 1,55%. Em janeiro, a retração foi de 1,68%.

Os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 3,78 3/4, com baixa de 2,50 centavos ou 0,65%. A posição maio de 2019 fechou a US$ 3,84 1/2 por bushel, recuo de 2,00 centavos de dólar, ou 0,51%, em relação ao fechamento.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA