Algodão inicia semana com preços firmes no Brasil

310


     Porto Alegre, 10 de fevereiro de 2020 – O mercado doméstico de algodão iniciou a semana com reduzido volume de negócios e com os níveis de preços mantendo a firmeza. Na média do CIF de São Paulo a indicação ficou em R$ 2,81/libro, com alta de 0,2% em relação à última sexta-feira e um valor 4,5% superior ao praticado no mesmo período do mês passado. A indicação no porto de Santos/SP fechou em 66,14 cents de dólar por libra-peso (c/lb). Comparado ao contrato spot negociado na Ice Futures, na manhã desta sexta-feira o algodão brasileiro estava 2,3% abaixo. Há um mês era 4,1% inferior.

     Os produtores seguem com as atenções voltadas para os trabalhos de plantio. No Mato Grosso, de acordo com o IMEA, 83,3% da área estimada para o cultivo no estado já foi planada. No entanto, os trabalhos ainda estão atrasados em relação à safra passada e à média dos últimos cinco anos.

     Destaque também para os números de exportação. Na primeira semana de fevereiro foram embarcadas 44,1 mil toneladas, um volume 37,1% inferior ao do mesmo período de janeiro. Com isso, no acumulado das 34 semanas da temporada 2019/20 as vendas externas da fibra chegaram a 1,492 milhão de toneladas. Esse volume supera as 958 toneladas embarcadas até o final de fevereiro do ano comercial anterior em 55,7%. Com esse desempenho, a cadeia produtiva já conseguiu exportar 70,6% do saldo de produção em relação ao consumo interno no ano comercial 2019/20. No mesmo período do ano anterior havia escoado 71,3% do saldo daquela temporada. Isso mostra que mesmo tendo um saldo 57% superior, a cadeia produtiva tem sido eficiente no escoamento do excedente de produção em relação ao consumo.

     Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou o dia de negociação com preços mais altos. O mercado buscou recuperação técnica frente às perdas registradas na última sexta-feira, ignorando nova queda nos futuros do petróleo, fator que tira a competitividade da pluma contra as fibras sintéticas.

     Os investidores se posicionaram para o relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura do Estados Unidos (USDA), que será divulgado nesta terça-feira (11).  

     Os contratos com entrega em março/2020 fecharam a 68,19 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 0,44 centavo, ou de 0,64%.

     Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,02%, sendo negociado a R$ 4,3230 para venda e a R$ 4,3210 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,3050 e a máxima de R$ 4,3300 (maior valor intradiário desde a criação do Plano Real).

     Agenda de terça

– Reino Unido: A balança comercial de dezembro será publicada às 6h30 pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre de 2019 será publicada às 6h30 pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A produção industrial de dezembro será publicada às 6h30 pelo departamento de estatísticas.

– O BC divulga às 8h a ata da reunião mais recente do Comitê de Política Monetária (Copom).  

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados sobre o Levantamento da Produção Agrícola referentes a janeiro.

– A Conab atualiza a sua estimativa para a safra brasileira de grãos em 2019/20, às 9hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– Relatório mensal de oferta e demanda dos EUA e mundial – USDA, 14hs.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA