Mercado físico de café tem dia mais movimentado com dólar forte e reação em Nova York

533

     Porto Alegre, 12 de fevereiro de 2020 – O mercado físico de café do Brasil teve um dia mais movimentado, com preços em alta para os grãos de qualidade superior. As cooperativas, animadas com o dólar cada vez mais caro e uma reação ainda que tímida nos referenciais internacionais, colocaram mais lotes à venda. No entanto, pediram preços além do que os compradores estavam dispostos a pagar, e os negócios efetivadas se limitaram a lotes de pequenos volumes.

     No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 480,00/485,00 a saca, contra R$ 475,00/480,00 a saca ontem. No cerrado mineiro, preço de R$ 485,00/490,00 a saca, ante R$ 480,00/485,00 a saca.

    Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 340,00/345,00 a saca, sem alterações. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 305,00/308,00 a saca, estável.

Nova York

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta quarta-feira com cotações em leve alta, repetindo o desempenho de ontem.

     “O mercado seguiu corrigindo as baixas exageradas associadas com o coronavírus e está se afastando das mínimas recentes. Mas, a junção de oferta ampla e consumo em desaceleração em níveis globais deve evitar ganhos mais expressivos para os futuros do café”, aponta o analista de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach.

      Contribui para o sentimento negativo entre os mercados futuros de café arábica neste início de ano a perspectiva de uma safra recorde no Brasil. A consultoria SAFRAS & Mercado projeta que a colheita pode atingir até mesmo uma marca de 68 milhões de sacas.           

     O Brasil exportou 3,2 milhões de sacas de 60 quilos de café em janeiro, conforme dados divulgados pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Já os embarques acumulados do ano-safra 2019/20 (entre julho e janeiro) chegam a 23,5 milhões de sacas.

     Os contratos com entrega em março/2020 fecharam o dia a 100,65 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 0,15 centavo, ou de 0,14%. A mínima do dia foi de 100,00 centavos, e a máxima 102,30 centavos.

Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,57%, sendo negociado a R$ 4,3520 para venda e a R$ 4,3500 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,3240 e a máxima de R$ 4,3540 (maior valor intradiário desde a criação do Plano Real).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA