Safras da Índia e Tailândia centram atenções no mercado de açúcar

359

    Porto Alegre, 21 de fevereiro de 2020 – A evolução das safras de açúcar da Ásia seguiu no foco dos operadores do mercado internacional de açúcar nesta semana. Com adversidades climáticas na Índia e na Tailândia, a produção de açúcar destes dois grandes produtores será bem menor em 2020, alimentando um rally nas cotações futuras que iniciou praticamente junto com começo desse ano.

     Em Nova York, os contratos com entrega em março do açúcar bruto fecharam a sessão da quinta-feira (20) a 15,40 centavos de dólar por libra-peso, na comparação com os 13,42 centavos do encerramento do último pregão de 2019, o que significa uma valorização acumulada de quase quinze por cento.

    Nesta semana, Associação das Usinas de Açúcar da Índia (ISMA, na sigla em inglês) atualizou os números de produção da safra 2019/20. A produção de açúcar (de 01 de outubro de 2019 até 15 de fevereiro de 2020) caiu 23%, totalizando 16,98 milhões toneladas, contra 21,96 milhões de toneladas no mesmo período da temporada 2018/19.

     A ISMA destacou que, das 449 usinas que já haviam iniciado o processo de moagem da cana-de-açúcar na safra 2019/20, 23 interromperam os trabalhos devido a indisponibilidade de oferta de matéria-prima. No ano passado, 521 usinas estavam ativas nesse ponto do ano, e 19 já haviam encerrado as atividades pelo mesmo motivo.

     Segundo a ISMA, a produção de açúcar da Índia em 2019/20 deve ser a menor em três anos, após uma seca em 2018 ter forçado produtores a reduzir a área de plantio de cana e inundações terem danificado seriamente diversos canaviais em agosto de 2019. Um maior direcionamento de cana para a produção de etanol também ajudará a desinchar a produção de açúcar indiana.

    Já na Tailândia, a segunda maior exportadora mundial de açúcar, atrás apenas do Brasil, uma grave seca devasta plantações de cana, o que reduziu a produção em 50% em áreas da maior região de cultivo, no nordeste do país, segundo a Thai Roong Ruang Sugar, uma das maiores usinas tailandesas, relatou à Agência Bloomberg.

     A produção de açúcar da Tailândia deve ser de 8,5 a 8,8 milhões

de toneladas este ano, com exportações em torno de 6 milhões de toneladas. Segundo o Ministério do Comércio local, no ano passado as

exportações somaram 9,7 milhões de toneladas.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA