Ações na Europa acumulam perdas além dos 11% na semana por vírus

464

     Porto Alegre, 28 de fevereiro de 2020 – Os principais índices do mercado de ações europeu fecharam em baixa de mais de 3% e acumularam perdas na semana maiores que 11%, devido ao crescimento da epidemia de coronavírus fora da China, principalmente na região da Itália e do Irã.

     Segundo o diretor geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, os principais focos da doença fora da China são a Itália e o Irã. De acordo com ele, 24 casos da doença foram exportados do território italiano para 14 países até o momento, e 97 casos foram exportados de área iraniana para 11 países.

     “Desde ontem, Dinamarca, Estônia, Lituânia, Holanda e Nigéria reportaram os primeiros casos de Covid-19. Todos esses casos estão ligados com a disseminação da doença na Itália”, afirmou Ghebreyesus.

     A Itália reportou 122 novos casos no país desde ontem, segundo informações do ministério da Saúde do país. Ao todo são 650 pessoas infectadas, 17 mortes e 45 curadas. No Reino Unido, dois novo casos foram identificados, provindo do Irã, aumentando o número de infectados no país para 19.

     Ghebreyesus, no entanto, tentou acalmar a população afirmando que a doença parece estar sendo contida entre os chineses, já que nas últimas 24 horas, a China reportou 329 casos de Covid-19 – o menor número em mais de um mês -, enquanto o número de casos reportados à OMS somava 78.959 nesta manhã, incluindo 2.791 mortes. Fora da China, existem 4.351 casos em 49 países e 67 mortes.

     “Um aumento nos novos casos de coronavírus na Itália e na Coreia levou a preocupações adicionais sobre o impacto do surto no crescimento global, enquanto interrupções aparentemente contínuas na atividade econômica chinesa sugerem ainda mais desvantagem em relação à nossa previsão atual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) chinês no primeiro trimestre de 5,1%”, afirmam analistas do Wells Fargo.

     Para a maioria dos analistas, tanto a disseminação da doença quanto as interrupções causadas por ela devem afetar gravemente a economia dos países. O presidente do Bundesbank, o banco central da Alemanha, Jens Weidmann, afirmou que a epidemia pode sim provocar a desaceleração da economia alemã este ano em decorrência dos fatores já citados, mas que não acredita que uma política monetária acomodatícia deva ser a solução. As informações partem da Agência CMA.

     Confira abaixo a variação e a pontuação dos índices europeus no fechamento:

            FTSE-100 (Londres): -3,18%, 6.580,61 pontos

            DAX-30 (Frankfurt): -3,86%, 11.890,35 pontos

            CAC-40 (Paris): -3,24%, 5.317,53 pontos

            FTSE MIB (Milão): -3,58%, 21.984,21 pontos

            IBEX-35 (Madri): -2,92%, 8.723,20 pontos

            SMI-20 (Zurique): -3,50%, 9.848,50 pontos

            PSI-20 (Lisboa): -3,76%, 4.765,73 pontos

    Veja abaixo a variação dos índices no acumulado da semana:

            FTSE-100 (Londres): -11,12%

            DAX-30 (Frankfurt): -12,44%

            CAC-40 (Paris): -11,95%

            FTSE MIB (Milão): -11,26%

            IBEX-35 (Madri): -11,76%

            SMI-20 (Zurique): -11,37%

            PSI-20 (Lisboa): -11,53%

    Veja abaixo a variação dos índices no acumulado do mês de fevereiro:

            FTSE-100 (Londres): -9,68%

            DAX-30 (Frankfurt): -8,41%

            CAC-40 (Paris): -9,70%

            FTSE MIB (Milão): -5,39%

            IBEX-35 (Madri): -6,88%

            SMI-20 (Zurique): -7,31%

            PSI-20 (Lisboa): -9,26%

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA