Câmbio deve continuar favorecendo negócios com soja no Brasil

207

     Porto Alegre, 28 de fevereiro de 2020 – O cenário segue inalterado para a comercialização da soja no mercado brasileiro nesta sexta. O dólar segue em alta frente ao real e Chicago cai, ambos em decorrência das preocupações com o coronavírus. Os preços domésticos devem permanecer sustentados pelo fator cambial e a tendência é de mais um dia movimentado.

CHICAGO

* Os contratos da soja em grão com vencimento em maio recuam 9,75 centavos de dólar por bushel, o equivalente a 1,08%, cotados a US$ 8,85 .

* A oleaginosa é pressionada pelo pessimismo nos mercados em geral, reflexo dos temores com o coronavírus e que a doença vire uma pandemia. As bolsas de valores da Ásia despencaram e na Europa a situação é semelhante no momento, com perdas de 2,5% a 3,5%.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para março ficou em 37 a 44 pontos acima de Chicago. Para abril, o valor é de 38 a 42 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera em alta frente ao real desde a abertura dos negócios, renovando mais uma máxima histórica intraday, perto de R$ 4,51, mesmo após a intervenção do Banco Central (BC) com mais uma operação de swap cambial tradicional.

* O temor com o coronavírus prevalece em meio ao avanço da doença por países fora da Ásia. Ao longo da manhã, a volatilidade deverá ser presente antes da formação de preço da taxa Ptax de fim de mês.

* Às 9h58 (de Brasília), a moeda norte-americana operava em alta de 0,17% no mercado à vista, cotada a R$ 4,4850 para venda, depois de renovar máxima histórica intraday a R$ 4,5080 (+0,69%).

* O contrato para março oscila em queda de 0,17%, a R$ 4,4810. Lá fora, o

Dollar Index tem leve queda de 0,09%, aos 98,417 pontos. As principais moedas de países emergentes caem frente ao dólar, com destaque para o peso mexicano que exibe perdas acima de 1%.

INDICADORES FINANCEIROS

* Bolsas da Ásia fecham em baixa. Tóquio, -3,67%. Xangai, -3,71%.

* Maioria das bolsas na Europa operam com perdas. Paris, -2,83%; Frankfurt, -3,44%; e Londres, -3,14%. 

* O petróleo opera em baixa. Abril do WTI em NY: US$ 45,52 o barril (-3,37%).

* O Dollar Index registra baixa 0,04%, a 98,47 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de soja teve um dia de preços firmes e melhora na comercialização. O dólar voltou a subir, chegando a atingir R$ 4,50 na máxima do dia. Chicago também registrou preços firmes ao final do dia. Segundo SAFRAS, cerca de 350 mil toneladas trocaram de mãos.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 85,00 para R$ 86,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 85,00 para R$ 85,50. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 90,00 para R$ 91,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 80,50 para R$ 81,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 88,50 para R$ 90,00.

* Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 79,50. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 76,00 para R$ 76,80. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 78,50.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Dados de colheita da soja no Brasil – SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA