NY dispara mais de 4% e deve sustentar preço interno do café

338

     Porto Alegre, 2 de março de 2020 – O mercado brasileiro de café recebe forte suporte da Bolsa de Nova York, onde a cotação sobe mais de 4%. Segundo dados da Consultoria de SAFRAS & Mercado, a bolsa se recupera das perdas exageradas de fevereiro causadas pelo coronavírus. Gráficos positivos também influenciam tecnicamente. E. como fator fundamental, há a oferta mais curta de café arábica em algumas importantes origens, inclusive do Brasil. Além disso, o dólar volta a subir frente ao real.

NOVA YORK

* Os contratos com vencimento em maio têm ganho de 4,26% a 116,10 centavos de dólar por libra-peso.

* Os contratos para maio fecharam nesta sexta-feira a 111,35 centavos de dólar por libra-peso, alta de 1,60 centavo, ou de 1,4%.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera em alta de 0,33% frente ao real, cotado a R$ 4.4990.

INDICADORES FINANCEIROS

* Bolsas da Ásia fecham em alta; Xangai, +3,15%, Tóquio, +0,95%.

* As bolsas na Europa operam mistas. Paris, -1,08%; Frankfurt, -1,22%; e Londres, +0,64%.

* O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 46,02 o barril (+2,81%).

* O Dollar Index registra perda de 0,59%. a 97,55 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de café apresentou preços de estáveis a mais altos nesta sexta-feira. A combinação de alta do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) com o dólar firme deu sustentação ao mercado nacional. O mercado foi mais movimentado, mas sem volume expressivo de negócios. A forte volatilidade da bolsa atrapalhou o andamento da comercialização.

* No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 520,00/525,00 a saca, contra R$ 510,00/515,00 do dia anterior. No cerrado mineiro, preço de R$ 525,00/530,00 a saca, contra R$ 515,00/520,00 anteriormente.

* Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 375,00/380,00 a saca, sem alterações. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 308,00/310,00 a saca, inalterado.

AGENDA

—–Segunda-feira (2/03)

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 13hs.

– Balança comercial de fevereiro – Ministério da Economia, 15hs.

—-Terça-feira (3/03)

– Eurozona: A taxa de desemprego de janeiro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

—–Quarta-feira (4/03)

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados sobre as contas nacionais e o PIB referentes ao 4T19.

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

– EUA: O Livro Bege, relatório com uma avaliação da situação econômica, será publicado às 16h pelo Federal Reserve.

—–Quinta-feira (5/03)

– Reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de seus aliados em Viena.

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o índice de preços ao produtor

referentes a janeiro.

– Estimativa de produção mundial de grãos – AMIS/FAO, na parte da manhã.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Produção, exportação e vendas de máquinas agrícolas em fevereiro – Anfavea, a partir das 10hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (6/03)

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: O resultado da balança comercial de janeiro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Comércio.

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a fevereiro serão publicados às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Dados de colheita da soja no Brasil – SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA