Coronavírus traz grandes indefinições ao mercado de algodão, alerta Imea

758

     Porto Alegre, 4 de março de 2020 – Desde o primeiro registro da epidemia de coronavírus na China, as principais commodities do mundo vêm sendo pressionadas economicamente, deixando o mercado internacional instável. Para o algodão, o surto continua gerando grandes indefinições, porque a gigante asiática tem diminuído suas importações, refletindo negativamente nas cotações da pluma e na principal balizadora de preço da fibra (bolsa de NY).

     Além disso, com a desaceleração da economia chinesa, alguns mercados já têm visto os reflexos atuais, como os EUA, que, segundo o acompanhamento semanal do USDA, reduziram 20,62% dos seus envios à China, quando comparado à primeira semana após o acordo comercial entre as duas potências. No entanto, outros países têm sustentado o mercado da pluma e dado suporte para a demanda externa, o que pode ser uma válvula de escape para os principais produtores da fibra, como o Brasil.

     As informações constam no Boletim do IMEA – Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola.

     Revisão: Rodrigo Ramos / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA