Para Corteva, Expodireto antecipa cenário do setor para 2020

478

   Não-Me-Toque (RS), 4 de março de 2020 – A participação na Expodireto serve como um termômetro para avaliar as perspectivas do agronegócio no restante do ano e antecipar as diretrizes para a performance das empresas. A avaliação foi feita pelo diretor de Marketing da Corteva Agriscience, Douglas Ribeiro, em entrevista concedida à Agência SAFRAS.

    “Esse evento é sempre uma oportunidade para tirar a temperatura do mercado. Obviamente é um ano com desafios para o produtor gaúcho. Se escuta bastante de clima que não jogou tão favorável, mas o produtor é resiliente”, disse, lembrando que o agricultor tem boas tecnologias à disposição e boas parcerias. “Superação é a palavra que o produtor aprendeu a usar. Estamos muito animados em estar aqui”, completou Ribeiro.

    “A Corteva oferece soluções em sementes, proteção de cultivos e agricultura digital, com o propósito de enriquecer as vidas daqueles que produzem e daqueles que consomem. Participar de eventos importantes como a Expodireto Cotrijal é fundamental para apresentarmos toda a inovação e o investimento em pesquisa que estão presentes no nosso DNA”, acrescentou.

     Destaque

    Entre as soluções apresentadas pela Corteva, o diretor destaca a tecnologia Enlist, que estará disponível nas marcas próprias Brevant Sementes, Pioneere Cordiuse em marcas licenciadas (Brasmax, Don Mario, Nidera, TMG, HO Genética e Syngenta).

    Sistema que visa soluções para avanço na produtividade, o Enlist deve ser disponibilizado para o cultivo da soja na temporada 2021/22. Para o milho, a previsão é de utilização em 2022/23. “Estamos apenas esperando a aprovação do sistema na Europa, após ter sido liberado o uso na China”, explica o dirigente.

    A expectativa é que os europeus aprovem o Enlist neste ano. “É uma questão de tempo para a liberação. Com a definição do Brexit, tudo deve se normalizar. Nada que possa colocar em risco a aprovação. Só o tempo de entrar em pauta. O Brexit atrasou muita coisa na área agrícola. Foram dois anos de espera e uma longa jornada de 10 anos. O agricultor terá uma opção viável de escolha. Genética e solução de tecnologia”, explica Ribeiro, ressaltando que o objetivo é entrar com força no mercado e concorrer com sistemas como o Intacta Xtend e o Dicamba.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA