Oferta restrita mantém boi gordo com preços firmes no Brasil

233

    Porto Alegre, 10 de março de 2020 – O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes. O analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, apesar de contar com algum avanço nas escalas de abate, os frigoríficos esbarram na conjuntura de oferta ainda restrita em meio a uma ótima capacidade de retenção dos animais no pasto por parte dos pecuaristas.

    “O regime regular de chuvas persiste em março, mantendo as pastagens em boas condições, permitindo a retenção do gado no campo como estratégia recorrente para o produtor”, pontuou.

    Em São Paulo, Capital, os preços do mercado à vista seguiram em R$ 203,00 a arroba. Em Uberaba, Minas Gerais, os preços permaneceram em R$ 197,00 a arroba. Em Dourados, no Mato Grosso do Sul, os preços ficaram em R$ 195,00 a arroba. Em Goiânia, Goiás, o preço indicado continuou em R$ 195,00 a arroba. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, o preço permaneceu em R$ 186,00 a arroba.

     Atacado

     No mercado atacadista, os preços da carne bovina ficaram entre estáveis a mais altos. “Em linha com a ótima reposição entre atacado e varejo durante a primeira quinzena do mês, o consumo de carne bovina está mais aquecido. Já para a segunda quinzena a expectativa é de uma reposição mais comedida, avaliando o menor apelo ao consumo no decorrer deste período.”, disse Iglesias.

    O corte traseiro passou de R$ 14,40 o quilo para R$ 14,50 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 11,45 o quilo. Já o corte dianteiro seguiu em R$ 12,00 por quilo.

     Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 1,7%, sendo negociado a R$ 4,6470 para venda e a R$ 4,6450 para compra, um novo recorde para o fechamento. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,6880 e a máxima de R$ 4,6380.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA