Soja engata 2ª sessão de alta em Chicago. Maior oferta global limita reação

213

     Porto Alegre, 11 de março de 2020 – Os contratos da soja em grão registram preços em alta. Após ter atingido o menor nível em seis meses no início da semana, o mercado estende o movimento de recuperação técnica iniciado ontem.

     Os ganhos, no entanto, são limitados pela projeção de aumento na oferta mundial da oleaginosa, com safras melhores que o esperado na Argentina e no Brasil.

     Os contratos com vencimento em maio de 2020 operam cotados a US$ 8,77 3/4 por bushel, baixa de 1,50 centavos, ou 0,17%, em relação ao fechamento anterior.

     Ontem, o mercado acompanhou a recuperação global, com petróleo subindo 8% e ganhos em outras commodities agrícolas. A expectativa de anúncio de medidas de incentivo à economia mundial, como forma de amenizar os impactos negativos do surto de coronavírus, ajudou na reação dos contratos futuros.

     Mesmo sem grande impacto, o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu os ganhos da soja. O USDA elevou a sua estimativa de safra sul-americana, resultando em estoques mundiais acima do esperado.

     Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com valorização de 6,25 centavos de dólar, ou 0,71%, em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,76 ¼ por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 8,84 1/4 por bushel, elevação de 4,25 centavos de dólar, ou 0,59% em relação ao fechamento anterior.

     Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com alta de US$ 1,50, ou 0,49%, a US$ 301,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 27,67 centavos de dólar, ganho de 0,13 centavo ou 0,47% na comparação com o fechamento anterior.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA