Usinas de açúcar e etanol podem ser afetadas por queda nos preços do petróleo – Fitch

663

    Porto Alegre, 13 de março de 2020 – A queda nos preços internacionais do petróleo pode afetar as margens e o fluxo de caixa dos produtores brasileiros de açúcar e etanol, disse a agência de classificação de riscos Fitch Ratings.

   Segundo relatório divulgado pela agência, as implicações podem ser ampliadas se um declínio correspondente no preço do etanol levar os Produtores a desviar parcela maior da safra para a produção de açúcar em vez de etanol.

    Na visão da agência, isso poderia criar um excesso de oferta, reduzindo os preços internacionais do açúcar.

   “Como maior exportador de açúcar do mundo, o Brasil tem a capacidade de aumentar a oferta global de açúcar rapidamente, o que pode prejudicar os preços internacionais”, afirmou a Fitch em comunicado.

   O texto diz, ainda, que empresas com baixo custo e alta flexibilidade de produtos e estratégias de hedge eficientes como Raizen, Biosev e Jalles Machado estão melhor posicionadas para resistir a pressões de curto prazo. No entanto, efeitos negativos podem ser prolongados se os preços do petróleo continuarem em baixa.

    Pelas estimativas da Fitch, mais de 70% das exportações de açúcar esperadas para a safra 2020/2021 foram protegidas no início de março em R$ 1,30 por tonelada, 12% acima do preço praticado no ano passado.

    No entanto, os preços do etanol hidratado em Paulínia caíram 8% para R$ 2,02 por litro até o dia 11 de março. No período o preço do açúcar baixou 20% para US$ 0,11 por tonelada.

     As informações partem da Agência CMA.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA