Diminui fila de navios atracados para embarque de açúcar

285

     Porto Alegre, 27 de março de 2019 – O total de navios que aguarda para embarcar açúcar nos portos brasileiros estava em 21 na semana encerrada em 25 de março, contra 23 na semana anterior (18), de acordo com levantamento realizado pela agência marítima Williams Brasil.

    Conforme o relatório, foi agendado carregamento de 717 mil toneladas de açúcar, ante 884 mil toneladas na semana anterior. Pelo Porto de Santos (SP) deve ser carregada a maior parte, 529.717 toneladas, ou 74% do total. Depois aparecem o porto de Paranaguá, no Paraná (93.580 toneladas – 13%), Maceió, nas Alagoas (91.000 toneladas – 13%) e Recife-PE (2.400 toneladas). A carga de açúcar a ser exportada consiste da variedade VHP (694.297 toneladas), Cristal B150 (2.500 toneladas) e Refinado A45 (2.400 toneladas).

UNICA

     Na primeira quinzena de março, as unidades da região Centro-Sul processaram 2,99 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, sendo quase 90% destinada à produção de etanol (243,76 milhões de litros). A quantidade fabricada de açúcar, marginal, atingiu apenas 40,83 mil toneladas.

     No acumulado desde o início da safra 2019/2020 até 16 de março, a moagem somou 582,92 milhões de toneladas, enquanto as produções de açúcar e de etanol alcançaram 26,53 milhões de toneladas e 32,79 bilhões de litros, respectivamente.

     “Faltando apenas uma quinzena para o fim da safra, esse volume do renovável ultrapassa em 2,20 bilhões de litros o recorde anterior de 30,95 bilhões de litros, registrado na temporada passada”, lembra o diretor técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues.

     Contribuindo para esse recorde, a produção de etanol a partir do milho totalizou 1,50 bilhão de litros até 16 de março, sendo fabricados 85,59 milhões de litros fabricados nos primeiros quinze dias de março.

     Na primeira quinzena deste mês, 26 usinas iniciaram a moagem. Assim, até o dia 16 de março, o Centro-Sul contava com 43 unidades em operação, sendo 32 usinas processando cana-de-açúcar e 11 empresas com fabricação de etanol de milho (sendo 3 dedicadas exclusivamente ao processamento desta matéria-prima). A saber, na mesma data de 2019 foram registradas 25 unidades processando cana e outras 6 somente com milho.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA