Mercado de café deve ter poucos negócios / NY e dólar recuam

300

    Porto Alegre, 31 de março de 2020- O mercado brasileiro de café deve ter um dia de poucos negócios e de pressão sobre as cotações, diante do comportamento dos principais referenciais. Nova York e dólar registram perdas. Ontem, mesmo com o cenário favorável, o mercado pouco negociou diante da distância entre compradores e vendedores.

NOVA YORK

* Os contratos com entrega em maio registram desvalorização de 0,71% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 118,50 centavos de dólar por libra-peso.

* A posição maio fechou a segunda-feira a 119,30 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 3,45 centavos, ou de 3,0%.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 0,17% a R$ 5,172.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, +0,11%, e Tóquio, 0,88%.

* As principais bolsas na Europa operam com perdas. Paris, -0,7%; Frankfurt, -0,01% e Londres, -0,27%.

* O petróleo opera em alta. Maio do WTI em NY: US$ 20,93 o barril (-4,08%).

* O Dollar Index registra alta de 0,57%, a 99,75 pontos.

MERCADO

* O mercado físico brasileiro de café apresentou poucos negócios nesta segunda-feira, com lentidão. A forte alta do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e do dólar garantiu sustentação aos preços domésticos. Porém, houve um distanciamento entre as bases de compra e de venda. Alguns compradores mais necessitados de oferta apareceram e tiveram de elevar suas cotações para adquirir grãos.

* No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 575,00/580,00 a saca, contra R$ 560,00/565,00 do dia anterior. No cerrado mineiro, preço de R$ 585,00/590,00, contra 570,00/575,00 da sexta-feira.

* Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 390,00/395,00, contra R$ 385/390,00 nteriormente. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 320/00/325,00 a saca, estável.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– Levantamento de intenção de plantio de soja, milho, trigo e algodão nos EUA – USDA, 13hs.

– Estoques trimestrais de soja, milho e trigo dos EUA – USDA, 13hs.

—–Quarta-feira (1/04)

– Eurozona:  A taxa de desemprego de fevereiro será publicada às 6h pela Eurostat.

– O IBGE divulga às 9h os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Industrial referentes a fevereiro.

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

– Balança comercial de março – Ministério da Economia, 15hs.

—–Quinta-feira (2/04)

– Eurozona: O índice de preços ao produtor de fevereiro será publicado às 6h pela Eurostat.

– Produção mundial de grãos – AMIS/FAO, na parte da manhã.

– EUA: O resultado da balança comercial de fevereiro será publicado às 9h30 pelo Departamento do Comércio.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (3/04)

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a março serão publicados às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Dados de colheita da soja no Brasil – SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA