Cosan revisa alguns contratos e faz declaração de força maior diante do coronavírus

813

     Porto Alegre, 7 de abril de 2020 – A Cosan informou que à crise causada pela pandemia do Covid-19, nome do novo coronavírus, fez com que a companhia e as empresas do grupo implementassem medidas de contingência para preservação de saúde dos colaboradores e dos negócios, entre elas notificações de revisões de contratos e declaração de força maior com alguns fornecedores pela Raízen Combustíveis.

     Segundo o conglomerado, com a queda da demanda por combustíveis não será possível a compra dos volumes originalmente contratados, medida essa devidamente respaldada na legislação.

     A empresa disse ainda que os contratos notificados representam uma parcela não significativa do universo de obrigações da Raízen. Além disso, parte significativa dos volumes já foram repactuados para se enquadrar na conjuntura atual.

    “A adoção do conjunto de medidas legais e operacionais necessárias para o enfrentamento da atual crise pode ter impactos relevantes nos negócios da companhia e das empresas do Grupo, inclusive da Raízen. Neste momento, no entanto, a companhia não tem a visibilidade completa do conjunto de medidas cuja adoção será necessária, tampouco é possível mensurar os impactos que as medidas mitigadoras terão”, diz o comunicado.

     Diante disso, o comitê de divulgação pretende reavaliar periodicamente os impactos efetivos e potenciais da pandemia do coronavírus nos seus negócios de suas controladas, bem como a adequação do conjunto de medidas adotado em função desta crise. Com informações da Agência CMA.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA