Com coronavírus, estoque e produção de etanol dos EUA atingem marcas negativas

822

     Porto Alegre, 08 de abril de 2020 – Segundo dados da AIE (Administração de Informação de Energia), a produção de etanol de milho dos Estados Unidos caiu 20% na semana encerrada em 03 de abril, atingindo 672 mil barris diários (*), contra 840 mil barris diários na semana anterior (27 de março), menor nível da série histórica iniciada em junho de 2010.

     Já os estoques de etanol dos Estados Unidos passaram de 25,717 milhões de barris para 27,1 milhões de barris no mesmo período comparativo – subindo 5,4% e tocando nos maiores patamares já registrados.

     Conforme operadores do mercado ouvidos pela Dow Jones, a produção de etanol dos Estados Unidos tem sido severamente afetada pela pandemia do coronavírus e a consequente degradação das margens das usinas.

    A queda nos níveis de produção para níveis abaixo de 700 mil barris diários sinaliza que o caos na indústria é ainda pior do que o anteriormente estimado. Como reflexo, os contratos futuros do milho em Chicago caem nesta quarta-feira, com a posição maio do cereal cotada a US$ 3,3 por bushel.

   O analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, salienta que as indústrias de etanol seguem sofrendo com o preço baixo do petróleo. “A situação é complicada e impacta a demanda por milho nos EUA. O relatório de Oferta e Demanda mensal do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado amanhã, pode trazer um ajuste dos estoques, devido a menor demanda das destilarias de etanol. A expectativa é de que o USDA indique 1,990 bilhão de bushels para os estoques finais 19/20 dos EUA, acima dos 1,892 bilhão de bushels apontados em março”, assinalou Molinari.

 (*) Cada barril equivale a 159 litros.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA