Com negócios escassos, preços do algodão sofrem leve recuo

360

     Porto Alegre, 9 de abril de 2020 – Os preços domésticos do algodão apresentaram um leve recuo nesta primeira semana de abril. A indicação média nas indústrias de São Paulo ficou em R$ 2,83 por libra-peso no dia 8, ante R$ 2,89 no dia 31 de março. Em 30 dias, a retração acumulada é de 1,91%.

     No FOB exportação do Porto de Santos, a indicação ficou em 56,13 centavos de dólar por libra-peso (c/lb) no dia 8. Esse valor era 4,3% superior ao do contrato spot negociado na Bolsa de Nova York (Ice Futures US). “Com a demanda por produtos têxteis sofrendo os reflexos das medidas para conter a disseminação do novo coronavírus, o ritmo dos negócios segue lento”, destaca o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     De qualquer forma, os registros de negócios da safra atual para o mercado interno seguem ocorrendo na Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM). Os números divulgados nesta quinta-feira mostram um total de 5,5 mil toneladas registradas. “Os registros para exportação, no entanto, só ocorrem para algodão das safras futuras”, pondera Bento. “Os produtores de algodão normalmente comercializam cerca de 50% da safra nova mesmo antes de iniciar o plantio”, lembra.

     A safra brasileira de algodão em pluma na temporada 2019/20 está estimada em 2,880 milhões de toneladas, alta de 3,7% na comparação com as 2,778 milhões de toneladas indicadas na safra 2018/19. Os números fazem parte do sétimo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra 2019/20, divulgado nesta sexta-feira (9).

     A produtividade das lavouras está estimada em 1.717 quilos de algodão em pluma por hectare, mesmo patamar da temporada 2018/19. A área plantada com algodão na temporada 2019/20 está estimada em 1,677 milhão de hectares, elevação de 3,6% na comparação com os 1,618 milhão de hectares da safra passada.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA