Preços do trigo brasileiro sobem 5% em meio à maior demanda

169

Porto Alegre, 9 de abril de 2020 – Os preços do trigo no mercado brasileiro vêm apresentando elevações por volta dos 5% ao longo da última semana. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, isso é resultado do crescimento razoável da procura pelo cereal, por parte dos compradores, bem como por questões cambiais que seguem favorecendo a competitividade do trigo nacional.

“Mesmo com as recentes retrações vistas nos últimos pregões, o dólar segue acima de R$ 5,00 operando durante a quarta-feira consideravelmente acima dos R$ 5,15, elevando os custos de aquisição do produto no mercado externo, pelas paridades de importação. Com reduzida oferta disponível, e custos mais elevados para importação, os preços devem seguir reagindo a estes estímulos, mesmo que de maneira nominal, tendo em vista ainda uma liquidez reduzida no âmbito doméstico. Vale destacar que maiores problemas logísticos internos devido às medidas contra a disseminação do coronavírus não foram relatados”, explicou Pinheiro.

A indústria nacional, já busca alternativas para o abastecimento em outros países, tentando negociar a redução ou retirada de tarifas. “As cotações tendem gradualmente a subir, conforme houver crescimento da necessidade de aquisições por parte dos moinhos brasileiros. Isso ainda não ocorreu devido à reduzida liquidez do mercado, com as pontas de negócios ainda distantes. Os principais fatores são uma indústria ainda bem abastecida, buscando alongar os estoques e aquisições pontuais de negócios mais atrativos, enquanto o lado da oferta segue principalmente negociando as culturas de verão além de buscar a valorização do seu produto, diante do atual cenário de alta”, analisou.

Conab

A produção brasileira de trigo em 2019 deverá ficar em 5,431 milhões de toneladas, segundo o sétimo levantamento para a safra brasileira de grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), subindo 5,4% sobre a temporada passada, quando foram colhidas 5,154 milhões de toneladas. Em março, a Conab apostava em safra de 5,347 milhões de toneladas.

A Conab indica uma área plantada de 2,089 milhões de hectares, contra 2,040 milhões do ano anterior. A produtividade está projetada em 2.600 quilos por hectare, 2,9% acima do ano anterior, quando o rendimento ficou em 2.526 quilos por hectare.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA