Boi gordo tem preços diferenciados para animais com padrão de exportação

198

     Porto Alegre, 17 de abril de 2020 – O mercado físico de boi gordo teve uma semana marcada por queda nos preços. A pecuária de corte passou a sofrer severas distorções no decorrer do mês de abril. “Existe uma evidente diferença de preços entre animais padrão China e o boi comum. Em alguns estados, os preços entre um e outro chegam a apresentar variação de até R$ 15 a arroba”, disse o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

    Enquanto isso, os frigoríficos seguem optando por operar com suas escalas de abate encurtadas, avaliando a retração da demanda doméstica em meio as estratégias de isolamento social. o escoamento da carne bovina entre as cadeias ainda ocorre de maneira lenta diante das mudanças de padrões de consumo. “O brasileiro médio segue optando por proteínas mais acessíveis neste momento, como cortes congelados de frango, embutidos e ovo. O aprofundamento da recessão econômica em 2020 remete a manutenção desse padrão no médio prazo”, assinalou.

    Especificamente para a carne bovina, o cenário se torna mais complicada diante da dificuldade de negociação dos cortes nobres, uma consequência do fechamento de restaurantes, bares e redes hoteleiras.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 16 de abril:

* São Paulo (Capital) – R$ 194,00 a arroba, contra R$ 195,00 a arroba em 078 de abril, caindo 0,5%.

* Goiás (Goiânia) – R$ 180,00 a arroba, ante R$ 185,00 a arroba (-2,7%).

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 184,00 a arroba, contra R$ 188,00 a arroba (-2,1%).

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 179,00 a arroba, contra R$ 182,00 a arroba (-1,65%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 174,00 a arroba, estável.

Exportação

     A receita diária média obtida com as exportações brasileiras de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada chegou a US$ 26,466 milhões nas duas primeiras semanas de abril, entre os dias 01 e 12.

     Na comparação com a média diária de abril de 2019, de US$ 20,336 milhões, verifica-se alta de 30,15% no valor obtido diariamente pelas exportações de carne bovina.

    Com sete dias úteis contabilizados em abril até o dia 12, foram exportadas 41,921 mil toneladas de carne bovina, com receita total de US$ 185,266 milhões e um preço médio de US$ 4.419,40 por tonelada.

     Os dados partem da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) /     Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA