Com demanda aquecida, preços do arroz seguem em elevação

216


     Porto Alegre, 17 de abril de 2020 – O mercado brasileiro de arroz seguiu com preços em alta na terceira semana de abril. Na média do Rio Grande do Sul, estado referência às cotações nacionais, a indicação ficou em R$ 55,02 por saca de 50 quilos de arroz em casca no dia 16. Na semana, houve alta de 2,32%. Em 30 dias, há alta de 11,78%. Frente ao mesmo período do ano anterior, a diferença é 31,49% positiva.

     Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Gabriel Viana, o mercado de arroz passa “por um momento quase único” dentro dos últimos anos. “Pois houve forte alta dos preços no primeiro quadrimestre do ano, período de entrada de safra do Rio Grande do Sul, maior produtor nacional”, explica. Sazonalmente, os preços tendem a recuar fortemente entre os meses de fevereiro e abril, pressionados pela maior oferta e demanda ainda não tão aquecida.

     “Desta vez foi diferente, com demanda muito forte devido a corrida aos mercados por consumidores preocupados com o surto de coronavírus, indo em busca alimentos não perecíveis”, pondera. Houve ainda um fortalecimento das exportações, suportadas pelo câmbio desvalorizado e preços internacionais muito elevados.

     Neste contexto, o ano é bastante diferente, podendo ter o teto de alta dos preços ainda no primeiro semestre. “Porém, somente o tempo dirá qual vai ser o teto de preços”, adverte Viana. “Caso a exportação consiga enxugar de forma significativa a oferta do cereal, a briga pelo produto no segundo semestre pode acirrar ainda mais e dar novo fôlego aos preços”, prevê.

     Ainda segundo o analista, com muitos fatores já determinados, é impossível não afirmar que nesta temporada os preços deverão seguir elevados e remuneradores para os produtores, não havendo espaço para recuos significativos nos próximos meses.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA