Milho recua no Brasil com aumento da oferta e com liquidez afetada

516

     Porto Alegre, 17 de abril de 2020 – O mercado brasileiro de milho registrou preços mais baixos ao longo desta semana. A oferta cresceu nas principais praças de comercialização, e houve uma natural pressão sobre as cotações, em que pese a preocupação com o clima para a produtividade da safrinha.

     Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, com a pandemia do coronavírus e as restrições impostas na sociedade, o consumo vai sendo afetado e a liquidez no mercado de milho vai sendo prejudicada, havendo pressão sobre as cotações. Os compradores estão em compasso de espera, e os efeitos no mercado de carnes acabam pesando sobre a demanda e preços do milho.

     No balanço da semana, o milho na base de venda em Campinas/CIF caiu de R$ 57,00 para R$ 54,00 a saca de 60 quilos. Na mogiana paulista a cotação passou de R$ 56,00 para R$ 52,00 a saca.

     Já em Cascavel, no Paraná, o preço do milho na semana passou de R$ 49,50 para R$ 48,00 a saca. Em Erechim, Rio Grande do Sul, a cotação baixou na semana na base de venda de R$ 52,00 para R$ 50,00 a saca.

     Em Uberlândia, Minas Gerais, o milho recuou de R$ 50,00 para R$ 48,00. Em Rio Verde, Goiás, o cereal caiu de R$ 48,00 para R$ 46,00 a saca. Em Rondonópolis, Mato Grosso, o milho baixou de R$ 47,00 para R$ 45,00.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA