Curso forma lideranças femininas no agronegócio

373

C

     Porto Alegre, 27 de abril de 2020 – Começaram dia 22 as inscrições para a nova turma da Academia de Liderança das Mulheres do Agronegócio, iniciativa da Corteva Agriscience em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC) e Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG).

     Para participar do processo seletivo, basta acessar o link e preencher o formulário até 30 de abril. Ao todo, serão 150 vagas e as aulas terão início no dia 18 de maio.

     O curso é gratuito e compreende 46 horas de aulas online e um encontro presencial em outubro, que também contemplará participação no 5° Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, realizado pelo Transamérica Expo, em São Paulo. Os módulos de capacitação incluem aulas sobre liderança, boas práticas agrícolas, temas regulatórios, ciência política, sustentabilidade, novas formas de governança, estratégias de gestão e comunicação.

     “A primeira turma da Academia nos trouxe aprendizados muito importantes. Foram 20 mulheres que tiveram suas vidas transformadas e que, ao final da jornada, impactaram mais de outras mil mulheres em suas respectivas comunidades, fortalecendo as lideranças femininas. Esse é o nosso principal objetivo com a Academia de Liderança das Mulheres do Agronegócio: incentivar o protagonismo feminino e estimular cada vez mais mulheres a ocupar espaços de liderança”, afirma Rosemeire dos Santos, gerente de Relações Governamentais da Corteva Agriscience.

     “Para a ABAG é de extrema importância participar de um projeto que incentive o protagonismo feminino no agro, setor que está cada vez mais em busca da igualdade de gênero em todos pilares da cadeia”, afirma Eduardo Daher, diretor executivo da ABAG.

     “O programa é voltado para mulheres deste importante setor da economia brasileira, com o objetivo de estimulá-las, cada vez mais, a ocupar os espaços de liderança exercendo um impacto positivo, principalmente nas comunidades onde estão inseridas. A FDC acredita que a diversidade contribui com soluções mais inclusivas e assertivas para o mundo corporativo contemporâneo”, afirma Viviane Barreto, diretora de Internacionalização da FDC.

     O projeto surgiu da demanda por mais atividades de capacitação e que permitam o acesso das mulheres a posições de liderança no setor. Segundo pesquisa global realizada pela Corteva Agriscience sobre a participação feminina no agronegócio, em 2018, 80% das brasileiras afirmaram ter o interesse de receber mais treinamento e oportunidades acadêmicas. O questionário contou com a participação de mais de 4 mil produtoras rurais de 17 países, das quais 500 entrevistadas eram do Brasil.

Copyright 2020 – Grupo CMA