Crise de Covid-19 interrompe a indústria global de carne suína – Rabobank

629

     Porto Alegre, 28 de abril de 2020 – A demanda de carne suína por parte dos consumidores sofreu um choque de curto prazo devido às medidas globais de quarentena, enquanto os setores de produção e embalagem lutam contra a interrupção da cadeia de suprimentos, de acordo com o mais recente relatório trimestral do Rabobank.

     O Rabobank espera uma volatilidade contínua dos preços da carne suína em 2020, uma vez que as perturbações nos mercados locais são equilibradas com a escassez de produtos na Ásia. ”O efeito combinado da destruição da demanda no curto prazo e as interrupções no processamento devido a restrições de mão-de-obra enfraqueceu o retorno do produtor e retardará o crescimento da produção. Um crescimento mais fraco do PIB pode pressionar ainda mais a demanda de suínos, compondo um ambiente operacional já desafiador”, de acordo com a analista sênior de proteínas animais do Rabobank, Christine McCracken.

     Segundo o Rabobank, na China os preços dos suínos permanecem elevados devido às perdas de rebanhos da peste suína africana (ASF) e com a recuperação gradual no setor de produção. O interesse do produtor na reconstrução permanece bom, resultando em uma forte tendência ascendente nos custos dos leitões. Os surtos contínuos de ASF continuam sendo uma preocupação e limitam o crescimento para operações menores. A demanda por carne de porco se recuperou, embora mais lentamente do que o previsto.

     Na Europa, o banco destaca que a demanda asiática impulsionou um aumento de 25% nas exportações, ajudando a compensar a interrupção gerada pela Covid-19. Dois casos registrados de ASF em celeiros comerciais na Polônia, na fronteira com a Alemanha, porém, levantam novas preocupações.

     Nos Estados Unidos, o fechamento de duas fábricas e a escassez crítica de mão de obra em muitos outras empresas criaram incertezas e forçaram uma queda de 35% nos preços de suínos nas últimas semanas. “Isso criou um acúmulo de suínos, que atingirá rapidamente níveis críticos, com suprimentos recordes. Os valores de carne de porco caíram, mas houve algum apoio das exportações”, avalia o Rabobank.

     No Brasil, apesar da interrupção gerada pelo Covid-19 no setor, as exportações de carne suína continuam fortes, impulsionadas pela demanda da China. A fraqueza do real e a falta de oferta na Ásia apoiarão o crescimento contínuo, ajudando a compensar o mercado doméstico mais fraco. “Os produtores enfrentam custos mais altos de milho, o que deve limitar a produção”, alerta o Rabobank.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA